Arquivo da tag: toronto

3º Ano de Canadá!!!

 Sabe aquela frase “Parece que foi ontem”? Pois então, ela não se aplica a este caso. Já são 3 anos no Canadá, mas parecem que fazem mais…. É o marco mais importante do nosso projeto de imigração, pois a partir disto estaremos aptos para aplicar para a cidadania Canadense (temos que adicionar mais alguns dias na conta devido as viagens que fizemos, mas é coisa pouca).

Hoje, definitivamente podemos falar que estamos em casa, Canadá é o nosso lar e estamos muito bem adaptados aqui. Em nossa última visita ao Brasil ficou claro para nós que embora tenhamos muito amor pelo nosso país, familiares e amigos, já notamos que há coisas que estamos mais acostumados aqui e que fazem com que nos sentirmos mais em casa no Canadá do que no Brasil.

Nestes 3 anos aconteceram muitas coisas nas nossas vidas e seguindo o padrão dos nossos posts de 1 e 2 anos, vamos comentar cada item na sua devida categoria.

Sentimento de Lar e Cultura

Estamos em casa, no ambiente em que aprendemos a chamar de lar.

Conseguimos entender que seremos vistos como imigrantes para o resto das nossas vidas e que isto não é ruim, simplesmente é a realidade a qual temos que conviver da melhor forma possível.

A família e amigos do Brasil continuam fazendo muita falta e farão falta para o resto das nossas vidas, é o que falta para que tudo aqui se torne perfeito. Podemos falar que depois de 3 anos esta saudade não diminuiu, mas estamos lidando com isto de uma melhor forma. Por outro lado, construímos uma rede de relacionamentos fantástica que acabam fazendo com que o sentimento de pertencer ao país e a comunidade fique mais forte.

Culturalmente, estamos aprendendo a mudar a forma como vimos alguns assuntos, como respeitar a opinião do próximo da melhor forma, como deixar mais leve a maneira de expressar uma opinião, como adaptar uma conversa de acordo com a cultura do grupo e como ser mais educados. Tudo isto não significa que não estávamos fazendo isto no Brasil, mas significa que aqui isto é algo mais forte. E que para convivermos bem com todos, este ajuste é necessário.

Idioma

Continua sendo o ponto que mais incomoda, pois embora tenhamos evoluído bastante, ainda cometemos erros gramaticais quando falamos. É algo que parece uma montanha russa, há dias/semanas que está tudo indo bem, mas há momentos que parece que voltamos 2 anos no tempo e tudo fica difícil de falar. O sentimento é que nunca teremos um Inglês perfeito (sem considerar o sotaque, que não chega a ser um problema). Na questão de escrita, leitura e compreensão, tudo está bem melhor. A escrita pode melhorar, é claro, mas o resto é tudo 100%.

O projeto de aprender Francês foi cancelado, pois não utilizaríamos aqui em Toronto. Seria praticamente aprender Francês no Brasil, sem qualquer utilidade no dia-a-dia.

Inverno

Vamos falar sobre o INFERNO então! LoL!!

O inverno dura 6 meses (Novembro-April), o que faz com que tenhamos opções limitadas de esportes que gostamos. O futebol a céu aberto muda para indoor, o que aumenta o custo e diminui as opções. A corrida na rua é cancelada (correr na academia é horrível). Tennis fica absurdamente caro, ou seja, impraticável. Nos resta adicionar o Snowboarding e torcer para termos dinheiro sobrando para irmos para a montanha no máximo 2 finais de semana por mês. O inverno é algo que realmente afeta nossa vida aqui, mas estamos aprendendo a conviver e aceitar isto.

Nossa estratégia para enfrentar melhor o inverno é reservar o maior número de dias de férias para esta época e tentar viajar para locais quentes, assim quebra o sentimento de estar sempre no frio. Nossa viagens ao Brasil acontecem sempre no Inverno daqui.

 Verão

Ahhh verão!! Você sempre vem lembrar dos motivos da nossa existência!! LoL. São os melhores 3 dias do ano (hahahaha), mentira, são 4 meses de boas temperaturas (metade de Maio a metade de Setembro).

Continuamos a praticar esportes quase todos os dias, até aumentamos neste ano (futebol, corrida, tennis e bicicleta). Estamos aproveitando ainda mais esta época, fazendo programas que antes não tínhamos condições, tais como ir para um cottage uma vez por mês e aproveitar os lagos daqui.
É muito difícil termos algum final de semana livre. Em Abril já estávamos com muitas programações definidas, até para economizar, pois se deixar tudo para a última hora, o custo fica alto.

Segurança

Acredito que já comentamos muito sobre este tópico, até porque foi o motivo principal da nossa mudança para o Canadá. Nada mudou, continuamos nos sentindo 100% seguros aqui e praticamente não há preocupação em ser assaltado ou sofrer algo por aqui.

 Trabalho

Nossa, o que falar sobre isto. Sem dúvida foi uma montanha russa até aqui.

O caminho da Bruna foi muito difícil no começo, deixando todo o ego de lado e aceitando uma realidade diferente ela trabalhou nas madrugadas, em 4 empregos diferentes ao mesmo tempo, recebendo o suficiente para pagar metade das contas no começo, ela foi uma guerreira!! Hoje, ela é funcionária em uma empresa de jogos e já foi promovida, agora atuando como especialistas em mídias sociais.

Minha trajetória foi mais fácil, porém demorou bem mais. Tentei trabalhar em qualquer emprego para “pagar as contas” no começo, mas não consegui. Acabei esperando 7 meses até conseguir emprego na minha área e no maior banco do Canadá. Recomecei minha carreira, mas depois de 2 anos de banco e duas promoções, já estou em uma posição que me deixa perto do que minha carreira era no Brasil, inclusive gerenciando pessoas diretamente.

O desafio ainda é ter a experiência do Brasil levada em consideração, mas já que isto é difícil, vamos tentando provar nosso valor aos poucos e enriquecendo nossa experiência Canadense.

 Financeiro

Após praticamente 3 anos podemos dizer que temos uma condição financeira semelhante a que tínhamos no Brasil. Ainda vivemos o mesmo estilo de vida do começo, mas agora podemos investir mais no futuro e também em lazer e viagens.

Casa (Aluguel ou Compra)

Continuamos morando no mesmo lugar praticamente desde que chegamos e não temos planos de nos mudar. Com a alta nos valores dos imóveis e novas regulamentações, está cada vez mais difícil pensar em comprar algo por aqui, ainda mais em Toronto. Muitos canadenses que conhecemos possuem imovél nos EUA como investimento, isto nos faz pensar em talvez seguir a mesma estratégia futuramente. No momento, nossa intenção é de continuar morando de aluguel.
As vezes sentimos falta de termos dois quartos no apartamento, especialmente para receber visitas, mas é algo que vamos levando e estamos acostumados.

Carro

O pensamento de comprar um carro está cada vez mais forte, mas realmente seria por comodidade. Não temos qualquer necessidade de comprar um carro e quando precisamos, nós alugamos. Isto sai mais barato do que o custo mensal de ter um carro, ou seja, dá para viver tranquilo sem isto. Mesmo se tivéssemos um carro, iremos continuar utilizando o transporte público para trabalhar, pois seria mais em conta e mais rápido.

Viagens

Aqui veio a maior mudança. Nosso estilo de vida continua o mesmo, mas nosso número de viagens aumentou bastante. Como comentamos na parte financeira, estamos mais estabelecidos e isto faz com que consigamos fazer mais viagens por ano. Continuamos indo ao Brasil 1x a cada 8 meses em média, mas fazemos mais 2 a 3 outras vianges internacionais no ano. Logicamente o custo de se viajar daqui é menor que o custo de se viajar no Brasil, então isto facilita bastante.

Cidadania

Conforme comentei no início do post, falta pouco para aplicarmos para a cidadania, pouco mais de 2 meses. Assim que fizemos isto e após aproximadamente 6 meses da aplicação, nosso projeto de imigração finalmente terminará e iniciará nosso projeto de criar raízes no país (não, não estamos falando de termos filhos ainda… rss).

 

Bom, este é uma atualização de nossa experiência de vida aqui desde que chegamos. Talvez para entenderem tudo, terão que ler os posts de 6 meses, 1 e 2 anos, mas acredito que conseguimos passar a mensagem.

 

Obrigado por lerem e por acompanharem nosso blog.
Abraços a TODOS!!!

Anúncios

Tutorial de Como se Divertir em um Dia de Muita Neve em Toronto

Fa galera!

Aqui vai um video tutorial de como se divertir (e muito) gastando quase nada em um dia de inverno com muita neve em Toronto.

Este video foi gravado no Riverdale Park em Toronto (Endereço: 550 Broadview Ave) com a participação especial dos amigos Francine, Fabiano e Lipe.

Ps: Gasto: $15 (pranchinha comprada no wallmart)

Tá no ar! Road Trip – Montreal e Quebec City

Olá galerinha!

Como comentamos no post anterior, nos enrolamos um pouco pra lançar o nosso Canal no Youtube. Mas agora ele está no ar e vamos compartilhar com vocês alguns momentos da nossa vida aqui no Canadá.

Esta viagem para a província do Quebec foi feita em maio (desculpem o atraso, antes tarde do que nunca).

Aproveitamos o feriadinho do Victoria Day e saímos de Toronto na sexta por volta das 16h e voltamos na segunda a tarde. Apesar de o tempo ter sido curto, conseguimos aproveitar e visitar os principais pontos turísticos das duas cidades!

Canadian Dream Vlog – Agora também estamos no Youtube

Agora o Canadian Dream também está no Youtube! Isto mesmo! Apesar da nossa falta de intimidade com a câmera (motivo pelo qual este projeto demorou tanto pra sair do forno), vamos começar a postar videos regularmente mostrando um pouco da vida em Toronto, curiosidades, viagens e muito mais! Convidamos todos para se inscrever no nosso canal,  assistir o primeiro videos que já postamos e deixarem um jóinha para sabermos que vocês gostaram do video! 🙂

Assista o nosso primeiro video clicando aqui.

Trabalho e Equilíbrio Financeiro!!

Enfim, completamos nossa jornada inicial! Foram 7 meses para realizarmos um projeto de 9 meses. O início de uma nova vida em outro país não é nada fácil, por isto fizemos um bom planejamento antes de embarcamos neste desafio.

Como já explicamos anteriormente, nosso projeto se daria em 3 fases:

  • 1ª Fase (0-3 meses): Adaptação e Moradia
  • 2ª Fase (3-6 meses): Inglês, Emprego e Inverno
  • 3ª Fase (6-9 meses): tempo extra para busca de estabilidade financeira, caso não fosse atingido nos 6 primeiros meses.

Dado este cenário, acredito que atingimos em 100% o que planejamos e, gostaria de compartilhar com vocês a nossa jornada em busca de emprego e equilíbrio financeiro (parar de gastar grana vinda das economias no Brasil).

Estratégia da Bruna:

Minha estratégia e a da Bruna foram diferentes, a dela era de conseguir o primeiro emprego da forma mais rápida possível, não importando em qual área, inclusive considerando empregos de “sobrevivência”. O motivo era simples e objetivo, ela iria praticar Inglês rapidamente e ainda por cima diminuiríamos o valor que estávamos gastando das nossas economias.

Ela executou os planos muito rapidamente, isto aconteceu ainda na Fase 1 (nos três primeiros meses), conseguiu um emprego em uma empresa TOP, mas não na área dela. O valor recebido já nos ajudava muito e nos deu ainda mais folego financeiro, maior do que os 9 meses iniciais que teríamos. Ela ainda continua neste emprego.

Importante também foi que neste mesmo período ela conseguiu um trabalho voluntário na área dela, isto possibilitou ela adquirir experiência Canadense, praticar o Inglês e melhorar o currículo. Esta é uma ótima estratégia para quem chega aqui, o Canadá valoriza muito trabalhos voluntários e este é um dos caminhos para conseguir empregos melhores no início. Ela ainda continua no volunteriado.

Estratégia do Lucas:

Eu planejei duas coisas, uma o emprego e outra o volunteriado. A estratégia do emprego remunerado seguiu na linha de tentar um trabalho na minha área e aplicar para vagas de gerente de contas. A estratégia de voluntariado deu certo já na primeira fase, consegui voluntariar no PMI (Project Management Institute), onde estou até hoje.

Já a estratégia de buscar oportunidades de gerentes de contas não deu muito certo, então decidi voltar a estudar gestão de projetos e tirar minha certificação PMP, o que aconteceu na fase 2. Em paralelo a isto, comecei a aplicar também para vagas de gestão de projetos, mas não tive sucesso até o final do sexto mês.

Mudança de Estratégia 1: A que deu errado

Em outubro/15, no quarto mês de Canadá, decidi que iria aceitar qualquer oportunidade, pois muitos dos retornos que eu estava tendo falavam ou do Inglês ou da experiência Canadense, então apliquei para outras vagas.

O meu primeiro emprego foi de sobrevivência, mas durou 4 horas (uma shift), realmente eu não estava preparado para isto, e logo depois do primeiro dia, comuniquei que não iria mais.

O segundo emprego foi para vender Norton Antivírus pelo telefone, o emprego não era ruim, embora o valor hora fosse baixo. O trabalho era de casa, mas era muito estressante ficar 8 horas seguidas no telefone. Resumidamente, 1 mês depois do início, também comuniquei que não iria continuar trabalhando. Isto já era dezembro/15, praticamente 6 meses depois de chegarmos no Canadá, foi uma decisão bem difícil de tomar.

Mudança de Estratégia 2: A que deu certo

Foi em dezembro/15 que colocamos nossa cabeça no lugar e planejamos que eu iria focar novamente em dois tipos de empregos: gestão de projetos e vendas em TI. O emprego teria que ser bom e solucionar nossa situação no Canadá, não iria mais aceitar ofertas que fossem amenizar a situação. Então, em janeiro/16 comecei uma nova fase, reservando praticamente 4 horas por dia para aplicar para várias vagas, era uma média de 10 aplicações por dia útil.

Para esta nova fase haviam 3 fatos novos: o primeiro é que eu era PMP (Project Management Professional), o segundo é que eu estava estudando gestão de projetos na universidade Ryerson aqui de Toronto e, o terceito foi que eu adicionei meu voluntariado no PMI-SOC como uma experiência profissional, ou seja, mostrei para o recrutador que havia melhorado meu Inglês e que já havia buscado a tão falada experiência Canadense.

Um outro fator é que também comecei a realizar networking de uma maneira mais assertiva e, com isto contei com a ajuda de alguns Brasileiros que já estão aqui faz tempo. Foi com uma destas ajudas que fiz um processo seletivo e fui para a entrevista final com 3 candidatos, infelizmente não fui selecionado, mas serviu para eu aprender como era um processo até o final e também pegar confiança que eu estava no caminho certo.

A partir disto, o mês de janeiro/16 foi excelente. Praticamente todas as entrevistas que fui chamado, consegui avançar de fase, foram 10 empresas diferentes, sendo que somente 1 me retornou o resultado negativamente. Outras 2 eu recebi proposta, mas não foram o que eu estava esperando e eu declinei. Outras 6 o resultado ainda não havia saído quando consegui o emprego, com isto, eu solicitei minha retirada do processo.

Bom, sobrou a oportunidade que eu aceitei e, foi a mais rápida a inesperada. A primeira entrevista aconteceu no dia 27/01, a segunda no dia 28/01 e a oferta no dia 29/01, ou seja, 48h depois da primeira entrevista eu estava contratado.

A empresa é o RBC (Royal Bank of Canada) e meu cargo será de Coordenador de Projetos em TI. Irei iniciar na metade de fevereiro/16.

 

Bom, e quais são nossos conselhos para quem chegou no Canadá e está procurando emprego?

1 – Não se desespere, os 6 primeiros meses são realmente mais complicados. Lógico que dá para conseguir algo neste período, muitos que conhecemos conseguiram, mas o recado é que antes de 1 ano estará tudo resolvido, com certeza;

2 – Faça trabalhos voluntários, preferencialmente algo recorrente. Além da experiência Canadense, tu ganharás amigos e, dependendo da empresa, poderá ser contratado;

3 – Estude!! Faça Inglês, cursos em colleges, bridging programs, OSLT, etc;

4 – Apliquei online, não importa que somente 20% dos empregos no Canadá estejam online, uma hora vai dar certo. Além disto, tu já vai poder adicionar os recrutadores e fazer contatos via mensagens no LinkedIn;

5 – Vá em eventos. Existem apps que lhe ajudam com isto (Eventbrite e Meetup);

6 – Faça contato com recrutadores de empresas de RH, existem várias aqui. Eles realmente ajudam;

7 – Vá em workshops sobre como melhorar teu currículo, como se comportar na entrevista, etc. Isto é muito importante. Somente após eu saber como eram as entrevistas aqui é que comecei a me dar bem nos processos;

8 – Mapeie as empresas que tu gostarias de trabalhar, adicione diretores/gestores no LinkedIn e peça para tomar um café com eles para entender como é a empresa e as oportunidades lá. Eu consegui duas entrevistas assim;

9 – Peça ajuda para conhecidos. As vezes achamos que vamos atrapalhar, mas é uma escolha deles ajudar ou não. A nossa obrigação é tentar, os que ajudarem, serão recompensados pelo prazer de fazer alguém feliz;

10 – E o principal, não se deixe abater com o número de aplicações negadas ou não retornadas. Minha média no último mês de aplicações (o melhor deles), foi de 1 entrevista a cada 15 aplicações, ou seja, é difícil mesmo.

 

6 Meses no Canadá!!!

Hoje completamos 6 meses em Toronto. Chegamos a uma marca muito importante, não somente pelo primeiro meio ano aqui, mas também porque vamos iniciar 2016 com uma bagagem muito boa trazida de 2015. Definitivamente estamos em casa, o Canadá já se tornou nosso lar.

Nosso projeto para o período entre o 3º e 6º mês contava com um investimento de tempo considerável nos estudos (Inglês e cursos técnicos), procura de emprego e adaptação ao inverno. Este segundo ciclo não saiu 100% como o planejado, mas ainda assim foi muito bom, pois aconteceram algumas coisas maravilhosas que não estavam nos nossos planos.

Primeiro, conseguimos finalizar os cursos de Inglês, o curso que eu (Lucas) estava fazendo, de Gestão de Projetos, e da Bruna, em marketing e vendas. A surpresa neste sentido veio com o meu PMP (Project Management Professional), algo que eu não fazia a mínima ideia que eu iria buscar, tampouco passar no exame de primeira após somente 2 meses de estudo.

Vamos agora ao tão temido inverno!! Bom, até agora, nada diferente do que passamos no Rio Grande do Sul. Novembro e Dezembro foram muito tranquilos, bem diferente do que costuma ser aqui em Toronto. Temperaturas negativas foram raras e neves mais raras ainda, vamos esperar Janeiro/Fevereiro para ver se conseguiremos enfrentar o frio de verdade. Projeto adiado para o próximo trimestre! Rsss.

Chegamos então ao principal projeto desde que chegamos: buscar emprego. Conseguimos ter certo sucesso nestes últimos 3 meses, mas ainda estamos em uma situação que queremos buscar um emprego em nossas áreas. O que conquistamos até agora foi bom pois nos ajudou a ter a famosa “Canadian Experience” e criar uma rede de relacionamentos, mas ainda temos o desafio de buscar algo mais próximo ao que tínhamos no Brasil. Certamente entre Janeiro/16 e Março/16 teremos que completar esta etapa, agora é a hora!!

A saudade da família e dos amigos é grande, mas estamos suportando bem. Nos preparamos bastante para enfrentar este primeiro ano, especialmente porque já tínhamos uma experiência prévia de como seria ficar longe. Sei que nossos familiares e amigos próximos também sentem saudade, mas esperamos visita-los ainda em 2016! Fiquem firmes e fortes ai, vocês são a base para nós.

Vou repetir uma frase que postei 3 meses atrás. “Aproveitamos para agradecer a todos que continuaram tendo contato seguido conosco, mesmo sabendo que fisicamente estaríamos distante e, pedimos para os que se afastaram, voltem a ter o contato conosco. Nós não morremos, só nos mudamos para um local geograficamente diferente.”

3 Primeiros Meses :)

Hoje completamos 3 meses em Toronto e, podemos dizer que, agora nós nos sentimos oficialmente Canadenses. Já estamos com o PR Card na mão (já dá para viajar pro Brasil), direito a acesso gratuito a saúde (tinha carência de 3 meses), carteira de motoritca de Ontario, entre outras coisas.

Os primeiros três meses havíamos planejado como meses de adaptação, meses que iríamos ajustar o orçamento, arrumar ap, conhecer a cidade, a cultura, estudar os idiomas (Inglês/Francês), entender o mercado de trabalho, etc.

O ciclo número 1 acabou, agora partirmos para um novo ciclo de 3 meses, com novos objetivos, dentre eles emprego e adaptação ao inverno.

Preliminarmente, podemos afirmar que estamos caminhando para uma plena adaptação, faltando somente encarar o inverno. Em relação a cidade, a cultura Canadense, as demais culturas e o modo como as coisas funcionam, tudo se encaixa no que buscávamos. Logicamente, ainda é muito cedo para conhecer tudo a fundo, mas por enquanto, esta é a visão.

Não podemos deixar de registrar que a saudade é grande, especialmente da família e dos amigos, mas também da vida que tínhamos no Brasil, mas isto tudo faz parte da adaptação inicial.

Aproveitamos para agradecer a todos que continuaram tendo contato seguido conosco, mesmo sabendo que fisicamente estariamos distante e, pedimos para os que se afastaram, voltem a ter o contato conosco. Nós não morremos, só nos mudamos para um local geograficamente diferente. 😉

Carteira de Motorista Canadense + Materiais de Estudo

Fala Galera,

Este é um dos posts mais esperados do pessoal que vem falar conosco, pois diz respeito a carteira de motorista no Canadá, mais especificamente em Ontário.

Como de costume, vamos explicar algumas coisas antes do passo-a-passo. Primeiro, é importante destacar que a carteira de motorista aqui é PROVINCIAL, ou seja, se tu moras em Ontario, tu tiras a carteira aqui, porém se tu te mudas definitivamente para outra província, tu serás obrigado a tirar uma nova carteira daquela província. Se tu fores somente viajar, está tudo certo, não terás problemas em usar a carteira de motorista entre as províncias.

Segundo, é importante explicar que aqui existem 3 tipos de carteiras de motorista de carros, vamos as diferenças:

  • G1: Este é o primeiro tipo de carteira que todos são obrigados a tirar. Para tirar esta carteira é necessário fazer uma prova de 40 questões, sendo 20 de sinais e 20 de regras de trânsito, podendo errar somente 4 questões de cada tipo. Sim, não é necessário fazer teste de direção, somente prova mesmo.
    Porém, para dirigir o carro, você deverá estar acompanhado de alguém que tenha a carteira G com mais de 4 anos. Além disto, não pode ter álcool no sangue, não pode dirigir entre meia-noite e 5 da manhã e tampouco em rodovias.
  • G2: Este é o segundo nível da carteira de motorista, sendo necessário fazer o teste de direção para conseguir tirá-la. Somente após 12 meses de G1 é que é possível tirar esta licença (tempo pode ser diminuído se fizer um curso específico que existe aqui). A diferença entre G1 e G2 é que no caso da G2 já é permitido dirigir sozinho, tanto na cidade quanto na autoestrada. Não pode ter álcool no sangue e o número de pontos para a perda de licença é bem baixo (9 pontos).
    OBS: quem tem carteira no Brasil, poderá ir da G1 direto para a G, sem passar pela G2 e esperar estes 12 meses, vamos explicar mais adiante no post.

OK, vamos agora ao mecanismo para tirar a carteira. Para nós que viemos do Brasil, temos duas possibilidades. Se não tens a CNH Brasileira, não terás escolha, deverás fazer a G1, G2 e G (esperando os tempos entre elas).

Agora vamos ao cenário que tu tens a CNH Brasileira, mas antes vamos aos avisos que muita gente comenta e que são mitos.

1 – NÃO PRECISA TRADUZIR A CNH! Vejo muitos blogs que dizem para trazer a CNH traduzida, mas isto não é necessário.

2 – NÃO PRECISA FAZER A CARTEIRA INTERNACIONAL! Vi muita gente fazer a carteira internacional no Brasil antes de vir pra cá, sinceramente, não vejo qualquer razão.

3 – A CNH SÓ VALE 60 DIAS! Sim, para quem fixa residência no país, após 60 dias tua CNH perde a validade, então é importante tu iniciar o processo de tirar a nova carteira aqui no Canadá antes disto, especialmente se quiser que ir da G1 diretamente para a G (pulando a G2). Após os 60 dias, tu perderá este direito também. Há relatos de Brasileiros que conseguiram fazer o processo após 60 dias, então este é um ponto que não tenho certeza, vale a pena ler este link e tirar as conclusões!

OK, então o que precisa fazer?

A) Solicitar um documento no Consultado do Brasil no Canadá (Site Oficial)
Este documento é praticamente a tradução da tua CNH, com selo oficial do consulado Brasileiro. Este documento serve para que teu histórico como motorista no Brasil seja aceito aqui para que tu consiga tirar diretamente a G1 e G, sem precisar esperar qualquer tempo entre elas.
Você precisará levar no consultado:
1 – Original e Cópia da CNH (Carteira Nacional de Habilitação);
2 – Original e Cópia do Passaporte;
3 – Consulta de Pontos da CNH no site do Detran (online mesmo). Deve ser no Detran do estado que a CNH foi emitida.
4 – Ordem de pagamento (money order) ou cheque administrativo (certified cheque) para o “Consulate General of Brazil in Toronto), no valor de CAD 22,50.
– Importante: você poderá fazer isto em uma agência dos correios ou nos bancos. O valor do money order é de CAD 7,50, porém se tu for no teu banco, eles podem não te cobrar (nosso caso no RBC).
– Importante 2: Faça isto antes de ir no consulado – vai economizar tempo, mas veja se o valor não mudou no site oficial.
O documento ficará pronto em 5 dias úteis e é válido por 6 meses. O endereço do Consulado do Brasil em Toronto é 77 Bloor Street West, sala 1109, e o horário de atendimento é das 9h às 13h.

B) G1 – Preparação e Como Fazer o Teste
A G1 é o primeiro teste que deverás fazer aqui, realmente é muito fácil a prova e o que deves fazer é somente estudar. Aqui está nossa principal ajuda para você, pois temos material em Inglês e Português para teu estudo, clique aqui e faça o download.
Após estudar, poderás fazer alguns simulados neste site.

OK, agora que você já estudou e já está acertando quase 100% das questões do simulado, é hora de ir no ServiceOntario (você pode ir em Drivetest Centres também, mas recomendamos o Service Ontario) e fazer a prova teórica. Não precisa de agendamento, mas prepare-se para esperar pouco mais de 1 hora na fila.
Vá bem arrumado, irá tirar uma foto lá.
Endereço: 777 Bay Street (Lower Level), Toronto,ON. M5G 2C8.
Documentos:
– CNH Brasileira;
– Statement emitido pelo consultado Brasileiro (item A acima) – faça uma cópia antes, pois este doc ficará com eles;
– Passaporte + PR Letter (ou PR Card);

C) G – Preparação e Como Fazer o Teste
Agora vem a parte que gera a tensão entre nós brasileiros, o teste de direção. Quando tu estudar para a G1, tu verás que temos consideráveis diferenças na legislação de transito entre Canadá e Brasil, então preste bem atenção nelas e memorize, isto será importante neste momento.
Se tu fez o caminho de validação da CNH Brasileira, após a G1 tu poderás aplicar direto para a G, porém indicamos fortemente fazer no mínimo 2 aulas de direção antes de partir pra prova (eu fiz 4 aulas). Tem muito detalhe que é muito difícil saber sem fazer as aulas (shoulder check, tri-point-turn, etc). Outro motivo de fazer aulas é que se tu rodar no teste da G, tu terás que fazer a G2, ou seja, mais gastos e retrocesso no processo.

Eu fiz aula com os portugueses da Easy Drive (416-531-3604), achei muito boas as aulas, embora o instrutor (Eduardo) por vezes não responde muito bem as dúvidas, mas as aulas foram mais difíceis que o teste, o que foi bom.
Valores: $ 35,00 (cidade) / $ 38,00 (highways) / $ 135,00 (dia da prova)

Você poderá marcar o teste através da internet, telefone (647-776-0331 or 1-888-570-6110) ou nos DriveTest centres. Porém, geralmente quem te dá as aulas marca para vocês.
Outra dica, no agendamento online solicita a data de validade da driver’s licence, basta colocar 5 anos a mais na data que está escrita no documento que tu receberá após o teste da G1.

Documentos necessários para marcar o teste:
– Número da tua Driver’s Licence;
– Local do Teste (sugestões: Etobicoke, Downview ou Oakville);
– Data e Hora preferencial (não escolha horários cedo ou tarde, de preferência entre 10h e 15h).
Você poderá cancelar o agendamento em até 48h e ter seu dinheiro reembolsado, após isto, ou faz o teste ou perde o dinheiro.

C) Teste da G – Experiência
Você terá que ir com o carro que alugou até o local que você marcou o teste, vá no mínimo com 20/30 minutos de antecedência, pois haverá fila no local. Leve consigo somente a carteira G1 (se não tiver, leve o papel que tu recebeu depois do teste G1 + Passaporte). Também tenha em mãos a informação da marca do carro e placa.

Depois de se apresentar no guichê, você voltará para o carro e irá aguardar o avaliador. Como dica, já espere com o cinto de segurança afivelado, isto evitará que esqueça depois.
O avaliador chegará e irá falar contigo pela tua janela, ele irá se apresentar, perguntará teu nome, data de nascimento e endereço. Após isto ele irá para trás do carro e irá pedir para tu colocar o pisca/alerta/sinal para a esquerda, depois direita e pisar no freio. Depois irá para a frente do carro e novamente direita, esquerda e depois buzina.
Realizado isto, ele(a) entrará no veículo e irá perguntar se tu já dirigiu na estrada, você deverá falar “sim, umas 10/15 vezes”. ISTO É MUITO IMPORTANTE!
Ok, a partir daí tu ligará o carro e seguirá para o teste. Aqui muita coisa poderá variar, mas em geral ele irá pedir para tu fazer um parallel parking (baliza), tri-point-turn (meia volta em uma rua apertada), left turn (dobrar a esquerda), right turn (dobrar a direita) e change lane (trocar de pista). Talvez ele peça outras coisas, então é importante estar preparado para tudo.
MAIS IMPORTANTE DE TUDO: shoulder check!!! Sim, para praticamente tudo você deve fazer shoulder check (olhar os pontos cegos através dos ombros). Outra coisa importante é olhar os espelhos a cada 10 segundos (aproximadamente). Este são dois dos motivos que mais reprovam a galera. Outro motivo de reprovação constante é entrar muito devagar na highways, se está na pista de aceleração… ACELERE!

D) Valores de TODO o processo:
– Consultado: $ 22.50 (talvez mais $7.50 do money order);
– Prova Teórica G1: $ 95.25
– Aulas de Direção: $ 146.00 (2 cidade / 2 highways);
– Aluguel do Carro: $ 135.00 (com 1 aula antes da prova);
– Prova Prática G: $ 86.25
– TOTAL: $ 485.00

Bom galera, espero que tenham gostado. Se encontrarem erros, por favor, nos avisem. Se tiverem dúvidas, por favor, nos perguntem.
Se gostaram, por favor, COMPARTILHEM!!

Não deixem de curtir nossa página no Facebook (Canadian Dream).

OHIP – Cartão de Saúde

Fala Galera,

Este é um dos assuntos mais falados antes de viajar para o Canadá e também logo após que chega, especialmente porque se trata do direito em ter acesso a saúde aqui no Canadá.

O significado de OHIP é “Ontario Health Insurance Plan”, o que já deixa claro que não é um documento Federal e sim PROVINCIAL e, neste caso, da província de Ontário. (Cada província tem sua regra e somente conhecemos a de Ontário).

Aqui no Canadá grande parte da saúde é PÚBLICA e somente algumas especialidades tem a permissão de atuar de forma privada. O OHIP cobre praticamente todas as necessidades que a população precisa, exceto dentista e alguns exames na área de oftalmologia.

Todos os cidadãos e residentes permanentes tem direito ao OHIP, porém para newcomers (residentes recém chegados) há um tempo de espera de 3 meses da data de “landing” até ter este direito adquirido. Por este motivo, recomendamos fortemente que se adquira um plano de saúde internacional que faça a cobertura destes 3 primeiros meses, nós utilizamos o BlueCross.

Ok, agora que temos as informações básicas sobre o OHIP, o que temos que fazer para fazer o cartão?

  • Primeira coisa, não tenha urgência. Você terá muito mais coisas urgentes para fazer quando chegar aqui, o OHIP pode ficar para seu segundo ou terceiro mês (recomendamos no segundo mês). Você não terá cobertura do OHIP nos 3 primeiros meses, então você tem exatamente este mesmo tempo para ir em um ServiceOntario  para fazer seu cartão.
  • Quando fores no ServiceOntario fazer o OHIP você deverá levar os seguintes documentos: Passaporte, Comprovante de Residente Permanente (Carta ou PR Card) e Comprovante de Endereço. Não esqueça que irá tirar uma foto, ou seja, vá arrumadinho(a). rsss.

Depois disto, basta esperar que o cartão será enviado próximo da data que você completará 3 meses de Ontario, Canada.

Se eu viajar para outra província, terei direito a saúde pública?
A resposta é SIM, terá direito, poderá utilizar seu OHIP, porém nem tudo são flores. Primeiro deverá se certificar se o profissional da saúde aceita OHIP tarifando diretamente a província de Ontario, caso contrário, você terá que pagar o serviço e solicitar reembolso quando voltares da viagem.
Isto não se aplica aos hospitais, neste caso está tudo integrado e é a mesma coisa que se tivesse em Ontario.

Toronto, Canadá (Video)