Arquivo da categoria: Gerais

1º Ano de Canadá!!!

Dia 28/06/2016 completamos oficialmente 1 ano no Canada. A verdade é que chegamos nos primeiros minutos do dia 29 de junho, porém a imigração oficializou nosso landing dia 28 de junho de 2015, o qual se torna nossa data oficial para celebrarmos o tempo em que moramos aqui.

Este dia é sem duvida o marco mais importante até agora, pelo simples motivo que encerramos o projeto de adaptação no país. Nosso planejamento inicial contava com um período de 12 meses os quais muitas decisões seriam tomadas, muitos ajustes seriam necessários e especialmente, muitas mudanças de comportamento da nossa parte para uma melhor adaptação à cultura local.

Comentamos com vocês que quando completamos 6 meses já estávamos nos sentindo em casa, o que falar depois de 1 ano então? Definitivamente estamos adaptados e não passa pela nossa cabeça um retorno ao Brasil, nossa nova casa é aqui.

Recapitulando nosso projeto de 12 meses:

  • 0 – 3 meses: ajuste de orçamento, moradia, conhecer a cidade, adaptação a cultura, entender o mercado de trabalho e estudar Inglês;
  • 3 – 6 meses: estudar Inglês, cursos técnicos, procurar emprego e adaptação ao inverno;
  • 6 – 12 meses: adaptação a cultura no mercado de trabalho, ajuste do orçamento para adaptar ao nosso estilo de vida e começar a investir em lazer.

Definitivamente nosso projeto inicial foi um sucesso, acredito que conseguimos fazer até mais do que o planejado. Tanto a Bruna quando eu, conseguimos fazer cursos em universidades já no primeiro ano, eu obtive 3 certificações (PMP, Scrum Master and Lean Six Sigma), ambos estamos bem empregados (a Bruna com mais de 1 emprego, inclusive), conseguimos um equilíbrio financeiro que nos permite investir em lazer e até iniciar nossa economia para a compra de um imóvel.

Tivemos a felicidade de nestes 12 meses recebermos a visita das nossas mães e também eu (Lucas) tive a oportunidade de passar alguns dias no Brasil, coisas que ajudaram muito a adaptação inicial. Outro fator muito importante foi de que amigos de infância que temos no Brasil continuam muito presentes em nossas vidas, isto foi e é fundamental para não nos sentirmos sozinhos. Também conseguimos fazer um bom ciclo de amizade aqui no Canada, o que ajuda a criar laços ainda mais forte com o país.

Nosso planejamento não incluía utilizamos o OHIP (plano publico de saúde) com tanta frequência, mas aconteceu. Eu operei da apêndice e atualmente estou aguardando o diagnostico da lesão no joelho para saber se terei que passar por uma cirurgia e reconstruir o ligamento cruzado do joelho direito. Como a saúde e gratuita aqui no Canada, são coisas que não afetaram nosso planejamento financeiro, mas logicamente tiveram um reflexo na nossa rotina.

Vamos falar um pouco do Canada então, neste um ano realmente confirmamos muitas coisas que havíamos pesquisados antes de vir.

– Segurança: é algo que não nos preocupa mais. Sinceramente, não lembramos a última vez que nos preocupamos em ser assaltados ou algo do tipo, depois de um tempo tu acabas eliminando estes pensamentos da cabeça, porque tu não escutas nada disto por aqui. Não quer dizer que tu não vá ser assaltado, mas quer dizer que a probabilidade é tão baixa, que não vale a pena a preocupação. Hoje em dia tiramos o celular do bolso em qualquer hora, inclusive de madrugada. Aliás, muitas vezes voltamos para casa depois da meia noite e com sentimento de segurança absurdo, o mesmo que temos durante o dia.

– Educação das Pessoas: foi algo que nos impressionou no inicio da nossa vida aqui, as pessoas são muito educadas. “Bom dia”, “com licença”, “por favor”, “obrigado” e por ai vai… são palavras quase que obrigatórias e não é somente por cultura, é verdadeiro. Logicamente já cruzamos com pessoas mal educadas, a grande maioria não era canadense, mas em linhas gerais, a educação aqui é bem alta. Um fator negativo que tenho a destacar é no mercado de trabalho, como o Canadense é muito educado, ele evita conflito e por vezes acaba agindo “nas costas” da pessoa, talvez por inocência, talvez por sacanagem… realmente não sei, mas vejo acontecendo isto seguidamente no mercado de trabalho. É algo para abrir o olho!!

– Inverno: Bom, aqui eh onde eu e a Bruna temos opiniões diferentes:
LUCAS: Minha opinião é que não é muito bom não, o inverno é muito longo e te limita bastante, é muito difícil continuar com o ritmo que tu tens no verão ou até mesmo com o que temos no inverno Gaúcho. Praticar esportes na rua, somente se for snowboarding ou skiing, o resto terá que ser indoor. Logicamente que quando tu aproveitas a neve e tem condições de ir para as montanhas, o inverno se torna sensacional, mas não são todos os meses que tu consegues isto. O frio não é um problema, tu estás sempre bem agasalhado e dentro de casa esta sempre quente, mesmo quando temos temperaturas negativas.
BRUNA: Entendo e acredito que muitas pessoas não gostam da ideia de viver em um lugar onde faz temperaturas negativas em quase 50% dos dias do ano. Eu, particularmente, nunca gostai de inverno, do frio e de ter que andar com vááárias camadas de roupas. O engraçado é que o Canadá me fez mudar de ideia na primeira neve que presenciei. Eu amo o inverno daqui, amo aquele frio (quase insuportável) pelo simples fato de toda a beleza que o inverno daqui traz. Amo acordar pela manhã e olhar pela janela aquela paisagem branquinha. Amo colocar minhas botas de neve naqueles dias de muitaaaa neve caminhar pelas ruas de Toronto só para ter aquele prazer de pisar na neve branquinha e fofinha. Amo os esportes de inverno (snowboarding, skiing, ice skating, “skibunda”…), apensar de não ter experimentado ainda todos estes esportes, todas estas possibilidades me deixam muito animada para o inverno. Sem falar o quão preparado o Canada é para o inverno, tu só sente o frio mesmo a céu aberto na rua, porque todos os lugares aqui tem calefação ou são bem protegidos para o frio (casas, prédios, ônibus, metro…) Resumindo, AMO o Canada e tudo que o Canada nos proporciona. Amo a vida que levamos aqui.

– Francês: ninguém fala Francês em Ontário, podem até saber falar, mas aqui, é raro escutar.

– Inglês: Comunicação não é mais um problema para nós, já conseguimos entender tudo e falar o que queremos. Logicamente temos muito a melhorar, mas não é mais um preocupação para nós.

– Viagens: conseguimos viajar relativamente bastante para os primeiros 12 meses. Visitamos Niagara Falls, Blue Montain, Windsor, Montreal (Quebec) e Quebec City (Quebec). Foram viagens curtinhas, mas já conseguimos conhecer um pouco da região. Nos próximos 12 meses a lista vai aumentar bastante.

Mais uma vez, aproveitamos para agradecer a todos que continuaram tendo contato seguido conosco, mesmo sabendo que fisicamente estaríamos distante e, pedimos para os que se afastaram, voltem a ter o contato conosco. Nós não morremos, só nos mudamos para um local geograficamente diferente.

Anúncios

Corra atrás do seu Sonho!! Canadian Dream!!

Trabalho e Equilíbrio Financeiro!!

Enfim, completamos nossa jornada inicial! Foram 7 meses para realizarmos um projeto de 9 meses. O início de uma nova vida em outro país não é nada fácil, por isto fizemos um bom planejamento antes de embarcamos neste desafio.

Como já explicamos anteriormente, nosso projeto se daria em 3 fases:

  • 1ª Fase (0-3 meses): Adaptação e Moradia
  • 2ª Fase (3-6 meses): Inglês, Emprego e Inverno
  • 3ª Fase (6-9 meses): tempo extra para busca de estabilidade financeira, caso não fosse atingido nos 6 primeiros meses.

Dado este cenário, acredito que atingimos em 100% o que planejamos e, gostaria de compartilhar com vocês a nossa jornada em busca de emprego e equilíbrio financeiro (parar de gastar grana vinda das economias no Brasil).

Estratégia da Bruna:

Minha estratégia e a da Bruna foram diferentes, a dela era de conseguir o primeiro emprego da forma mais rápida possível, não importando em qual área, inclusive considerando empregos de “sobrevivência”. O motivo era simples e objetivo, ela iria praticar Inglês rapidamente e ainda por cima diminuiríamos o valor que estávamos gastando das nossas economias.

Ela executou os planos muito rapidamente, isto aconteceu ainda na Fase 1 (nos três primeiros meses), conseguiu um emprego em uma empresa TOP, mas não na área dela. O valor recebido já nos ajudava muito e nos deu ainda mais folego financeiro, maior do que os 9 meses iniciais que teríamos. Ela ainda continua neste emprego.

Importante também foi que neste mesmo período ela conseguiu um trabalho voluntário na área dela, isto possibilitou ela adquirir experiência Canadense, praticar o Inglês e melhorar o currículo. Esta é uma ótima estratégia para quem chega aqui, o Canadá valoriza muito trabalhos voluntários e este é um dos caminhos para conseguir empregos melhores no início. Ela ainda continua no volunteriado.

Estratégia do Lucas:

Eu planejei duas coisas, uma o emprego e outra o volunteriado. A estratégia do emprego remunerado seguiu na linha de tentar um trabalho na minha área e aplicar para vagas de gerente de contas. A estratégia de voluntariado deu certo já na primeira fase, consegui voluntariar no PMI (Project Management Institute), onde estou até hoje.

Já a estratégia de buscar oportunidades de gerentes de contas não deu muito certo, então decidi voltar a estudar gestão de projetos e tirar minha certificação PMP, o que aconteceu na fase 2. Em paralelo a isto, comecei a aplicar também para vagas de gestão de projetos, mas não tive sucesso até o final do sexto mês.

Mudança de Estratégia 1: A que deu errado

Em outubro/15, no quarto mês de Canadá, decidi que iria aceitar qualquer oportunidade, pois muitos dos retornos que eu estava tendo falavam ou do Inglês ou da experiência Canadense, então apliquei para outras vagas.

O meu primeiro emprego foi de sobrevivência, mas durou 4 horas (uma shift), realmente eu não estava preparado para isto, e logo depois do primeiro dia, comuniquei que não iria mais.

O segundo emprego foi para vender Norton Antivírus pelo telefone, o emprego não era ruim, embora o valor hora fosse baixo. O trabalho era de casa, mas era muito estressante ficar 8 horas seguidas no telefone. Resumidamente, 1 mês depois do início, também comuniquei que não iria continuar trabalhando. Isto já era dezembro/15, praticamente 6 meses depois de chegarmos no Canadá, foi uma decisão bem difícil de tomar.

Mudança de Estratégia 2: A que deu certo

Foi em dezembro/15 que colocamos nossa cabeça no lugar e planejamos que eu iria focar novamente em dois tipos de empregos: gestão de projetos e vendas em TI. O emprego teria que ser bom e solucionar nossa situação no Canadá, não iria mais aceitar ofertas que fossem amenizar a situação. Então, em janeiro/16 comecei uma nova fase, reservando praticamente 4 horas por dia para aplicar para várias vagas, era uma média de 10 aplicações por dia útil.

Para esta nova fase haviam 3 fatos novos: o primeiro é que eu era PMP (Project Management Professional), o segundo é que eu estava estudando gestão de projetos na universidade Ryerson aqui de Toronto e, o terceito foi que eu adicionei meu voluntariado no PMI-SOC como uma experiência profissional, ou seja, mostrei para o recrutador que havia melhorado meu Inglês e que já havia buscado a tão falada experiência Canadense.

Um outro fator é que também comecei a realizar networking de uma maneira mais assertiva e, com isto contei com a ajuda de alguns Brasileiros que já estão aqui faz tempo. Foi com uma destas ajudas que fiz um processo seletivo e fui para a entrevista final com 3 candidatos, infelizmente não fui selecionado, mas serviu para eu aprender como era um processo até o final e também pegar confiança que eu estava no caminho certo.

A partir disto, o mês de janeiro/16 foi excelente. Praticamente todas as entrevistas que fui chamado, consegui avançar de fase, foram 10 empresas diferentes, sendo que somente 1 me retornou o resultado negativamente. Outras 2 eu recebi proposta, mas não foram o que eu estava esperando e eu declinei. Outras 6 o resultado ainda não havia saído quando consegui o emprego, com isto, eu solicitei minha retirada do processo.

Bom, sobrou a oportunidade que eu aceitei e, foi a mais rápida a inesperada. A primeira entrevista aconteceu no dia 27/01, a segunda no dia 28/01 e a oferta no dia 29/01, ou seja, 48h depois da primeira entrevista eu estava contratado.

A empresa é o RBC (Royal Bank of Canada) e meu cargo será de Coordenador de Projetos em TI. Irei iniciar na metade de fevereiro/16.

 

Bom, e quais são nossos conselhos para quem chegou no Canadá e está procurando emprego?

1 – Não se desespere, os 6 primeiros meses são realmente mais complicados. Lógico que dá para conseguir algo neste período, muitos que conhecemos conseguiram, mas o recado é que antes de 1 ano estará tudo resolvido, com certeza;

2 – Faça trabalhos voluntários, preferencialmente algo recorrente. Além da experiência Canadense, tu ganharás amigos e, dependendo da empresa, poderá ser contratado;

3 – Estude!! Faça Inglês, cursos em colleges, bridging programs, OSLT, etc;

4 – Apliquei online, não importa que somente 20% dos empregos no Canadá estejam online, uma hora vai dar certo. Além disto, tu já vai poder adicionar os recrutadores e fazer contatos via mensagens no LinkedIn;

5 – Vá em eventos. Existem apps que lhe ajudam com isto (Eventbrite e Meetup);

6 – Faça contato com recrutadores de empresas de RH, existem várias aqui. Eles realmente ajudam;

7 – Vá em workshops sobre como melhorar teu currículo, como se comportar na entrevista, etc. Isto é muito importante. Somente após eu saber como eram as entrevistas aqui é que comecei a me dar bem nos processos;

8 – Mapeie as empresas que tu gostarias de trabalhar, adicione diretores/gestores no LinkedIn e peça para tomar um café com eles para entender como é a empresa e as oportunidades lá. Eu consegui duas entrevistas assim;

9 – Peça ajuda para conhecidos. As vezes achamos que vamos atrapalhar, mas é uma escolha deles ajudar ou não. A nossa obrigação é tentar, os que ajudarem, serão recompensados pelo prazer de fazer alguém feliz;

10 – E o principal, não se deixe abater com o número de aplicações negadas ou não retornadas. Minha média no último mês de aplicações (o melhor deles), foi de 1 entrevista a cada 15 aplicações, ou seja, é difícil mesmo.

 

6 Meses no Canadá!!!

Hoje completamos 6 meses em Toronto. Chegamos a uma marca muito importante, não somente pelo primeiro meio ano aqui, mas também porque vamos iniciar 2016 com uma bagagem muito boa trazida de 2015. Definitivamente estamos em casa, o Canadá já se tornou nosso lar.

Nosso projeto para o período entre o 3º e 6º mês contava com um investimento de tempo considerável nos estudos (Inglês e cursos técnicos), procura de emprego e adaptação ao inverno. Este segundo ciclo não saiu 100% como o planejado, mas ainda assim foi muito bom, pois aconteceram algumas coisas maravilhosas que não estavam nos nossos planos.

Primeiro, conseguimos finalizar os cursos de Inglês, o curso que eu (Lucas) estava fazendo, de Gestão de Projetos, e da Bruna, em marketing e vendas. A surpresa neste sentido veio com o meu PMP (Project Management Professional), algo que eu não fazia a mínima ideia que eu iria buscar, tampouco passar no exame de primeira após somente 2 meses de estudo.

Vamos agora ao tão temido inverno!! Bom, até agora, nada diferente do que passamos no Rio Grande do Sul. Novembro e Dezembro foram muito tranquilos, bem diferente do que costuma ser aqui em Toronto. Temperaturas negativas foram raras e neves mais raras ainda, vamos esperar Janeiro/Fevereiro para ver se conseguiremos enfrentar o frio de verdade. Projeto adiado para o próximo trimestre! Rsss.

Chegamos então ao principal projeto desde que chegamos: buscar emprego. Conseguimos ter certo sucesso nestes últimos 3 meses, mas ainda estamos em uma situação que queremos buscar um emprego em nossas áreas. O que conquistamos até agora foi bom pois nos ajudou a ter a famosa “Canadian Experience” e criar uma rede de relacionamentos, mas ainda temos o desafio de buscar algo mais próximo ao que tínhamos no Brasil. Certamente entre Janeiro/16 e Março/16 teremos que completar esta etapa, agora é a hora!!

A saudade da família e dos amigos é grande, mas estamos suportando bem. Nos preparamos bastante para enfrentar este primeiro ano, especialmente porque já tínhamos uma experiência prévia de como seria ficar longe. Sei que nossos familiares e amigos próximos também sentem saudade, mas esperamos visita-los ainda em 2016! Fiquem firmes e fortes ai, vocês são a base para nós.

Vou repetir uma frase que postei 3 meses atrás. “Aproveitamos para agradecer a todos que continuaram tendo contato seguido conosco, mesmo sabendo que fisicamente estaríamos distante e, pedimos para os que se afastaram, voltem a ter o contato conosco. Nós não morremos, só nos mudamos para um local geograficamente diferente.”

3 Primeiros Meses :)

Hoje completamos 3 meses em Toronto e, podemos dizer que, agora nós nos sentimos oficialmente Canadenses. Já estamos com o PR Card na mão (já dá para viajar pro Brasil), direito a acesso gratuito a saúde (tinha carência de 3 meses), carteira de motoritca de Ontario, entre outras coisas.

Os primeiros três meses havíamos planejado como meses de adaptação, meses que iríamos ajustar o orçamento, arrumar ap, conhecer a cidade, a cultura, estudar os idiomas (Inglês/Francês), entender o mercado de trabalho, etc.

O ciclo número 1 acabou, agora partirmos para um novo ciclo de 3 meses, com novos objetivos, dentre eles emprego e adaptação ao inverno.

Preliminarmente, podemos afirmar que estamos caminhando para uma plena adaptação, faltando somente encarar o inverno. Em relação a cidade, a cultura Canadense, as demais culturas e o modo como as coisas funcionam, tudo se encaixa no que buscávamos. Logicamente, ainda é muito cedo para conhecer tudo a fundo, mas por enquanto, esta é a visão.

Não podemos deixar de registrar que a saudade é grande, especialmente da família e dos amigos, mas também da vida que tínhamos no Brasil, mas isto tudo faz parte da adaptação inicial.

Aproveitamos para agradecer a todos que continuaram tendo contato seguido conosco, mesmo sabendo que fisicamente estariamos distante e, pedimos para os que se afastaram, voltem a ter o contato conosco. Nós não morremos, só nos mudamos para um local geograficamente diferente. 😉

OHIP – Cartão de Saúde

Fala Galera,

Este é um dos assuntos mais falados antes de viajar para o Canadá e também logo após que chega, especialmente porque se trata do direito em ter acesso a saúde aqui no Canadá.

O significado de OHIP é “Ontario Health Insurance Plan”, o que já deixa claro que não é um documento Federal e sim PROVINCIAL e, neste caso, da província de Ontário. (Cada província tem sua regra e somente conhecemos a de Ontário).

Aqui no Canadá grande parte da saúde é PÚBLICA e somente algumas especialidades tem a permissão de atuar de forma privada. O OHIP cobre praticamente todas as necessidades que a população precisa, exceto dentista e alguns exames na área de oftalmologia.

Todos os cidadãos e residentes permanentes tem direito ao OHIP, porém para newcomers (residentes recém chegados) há um tempo de espera de 3 meses da data de “landing” até ter este direito adquirido. Por este motivo, recomendamos fortemente que se adquira um plano de saúde internacional que faça a cobertura destes 3 primeiros meses, nós utilizamos o BlueCross.

Ok, agora que temos as informações básicas sobre o OHIP, o que temos que fazer para fazer o cartão?

  • Primeira coisa, não tenha urgência. Você terá muito mais coisas urgentes para fazer quando chegar aqui, o OHIP pode ficar para seu segundo ou terceiro mês (recomendamos no segundo mês). Você não terá cobertura do OHIP nos 3 primeiros meses, então você tem exatamente este mesmo tempo para ir em um ServiceOntario  para fazer seu cartão.
  • Quando fores no ServiceOntario fazer o OHIP você deverá levar os seguintes documentos: Passaporte, Comprovante de Residente Permanente (Carta ou PR Card) e Comprovante de Endereço. Não esqueça que irá tirar uma foto, ou seja, vá arrumadinho(a). rsss.

Depois disto, basta esperar que o cartão será enviado próximo da data que você completará 3 meses de Ontario, Canada.

Se eu viajar para outra província, terei direito a saúde pública?
A resposta é SIM, terá direito, poderá utilizar seu OHIP, porém nem tudo são flores. Primeiro deverá se certificar se o profissional da saúde aceita OHIP tarifando diretamente a província de Ontario, caso contrário, você terá que pagar o serviço e solicitar reembolso quando voltares da viagem.
Isto não se aplica aos hospitais, neste caso está tudo integrado e é a mesma coisa que se tivesse em Ontario.

Toronto, Canadá (Video)

20 Curiosidades sobre Toronto!!

Galera, traduzimos uma matéria muito legal sobre as “20 coisas que você deve saber antes de se mudar para Toronto” do site Notable.ca e, acrescentamos algumas coisas nas descrições dos itens. Vale a pena conferir para conhecer mais sobre Toronto.

Antes de começarmos a lista, é importante destacar que este ano Toronto foi eleita como a melhor cidade para viver em um dos importantes rankings mundiais e a quarta melhor em outro. Agora vamos a lista:

  1. Se você é racista, isto provavelmente não irá funcionar aqui.

Com pouco mais da metade da população da cidade vinda de fora do Canadá, Toronto é uma das cidades mais multiculturais do mundo.

ARush-TorontoRoth-003-2

  1. Você não precisa falar Francês.

Francês é a segunda língua oficial do Canadá, porém é raramente utilizada em Toronto. Muito embora, a grande parte da comunicação impressa (embalagens de produtos, panfletos, informativos do governo, etc) contenha ambos os idiomas.

  1. Muitas pessoas vivem no “centro” da cidade (Downtown).

Não é igual a maioria das cidades onde o “centro” acorda as 9 da manhã porque 80% da população vive longe dali. Uma grande parte da população realmente vive lá, o que faz com que raramente o centro fique pouco movimentado. Veja a foto do post, que mostra o centro a noite.

  1. Comprar uma casa aqui irá custa a você milhões de dólares

O preço médio de uma casa na cidade de Toronto gira em torno de $1.05 milhões de dólares canadenses. Mesmo uma das casas mais apertadas (confira a matéria aqui) da cidade, custa $750.000,00.

  1. É realmente (realmente mesmo) seguro aqui, mas não seja um idiota por causa disto

A quarta maior cidade da América do Norte é também uma das mais seguras do mundo, então você não precisa ficar preocupado em caminhar pelo centro da cidade a noite. Mas é claro, existem certas áreas que você não gostaria de visitar, então fique atento. Furtos de bicicletas não são raros por aqui, então, fique atento com isto também.

  1. Existem mais Startbucks do que pessoas (ok, é um exagero)

Somente este mês, Toronto abriu a quarta milionésima Starbucks próxima a um armário de vassouras em uma sala de conferência em um hospital. Está bem, agora falando sério, eles estão em todos os lugares. Escolher seu café preferido não é um problema.

  1. Última chamada em bares é as 2 da manhã. Pints custam geralmente $6,25, um copo de vinho $11 e, um coquetel $13.

E mesmo assim, você ainda não pode comprar nenhum tipo de bebida alcoólica em supermercados e lojas de conveniências, somente em algumas selecionadas cadeias de distribuição exclusivas para este fim (LCBO, Wine Rack, etc).

  1. As opções de restaurantes e comidas são incríveis.

Comidas dos mais diferentes locais que vocês podem imaginar e feitas por pessoas realmente vindas daquele local. Existem em torno de 6.000 restaurantes na cidades. É uma legítima fantasia culinária.

  1. Se você sabe onde ir, não é tão caro assim.

A maioria dos locais não são baratos, mas se você tiver algum tempo para pesquisar um pouco, o preço não será tão alto para uma cidade grande como Toronto.

  1. Gorjetas vão de 15% a 20%

Sim, aqui é um hábito comum (quase obrigatório) dar gorjetas que vão de 15% a 18% e, chegam a 20%, o que significa um ótimo atendimento.

  1. É uma cidade amigável para os bichinhos de estimação

Você talvez seja multado se seu animalzinho estiver sem coleira em alguns parques e apartamentos com regulamentos proibindo animais. Mas em geral, a maioria das pessoas, lugares e áreas são amantes de animais e a comunidade de cachorros é grande.

  1. Quando mais for o acesso a coisas legais, estar no Oeste é melhor que estar no Leste.

Provavelmente não será assim por muito tempo, mas por enquanto, Oeste é melhor.

  1. Os ciclistas vão te deixar irritado.

Apesar de todo seu comportamento e o que seus monólogos sugerem, não deixem eles te enganarem. Eles não pertencem a nenhum sindicato que seja proprietário de todas as ruas da cidade e, os carros podem facilmente matá-los.

bikes

  1. Se você dirige um carro, esteja preparado para vender seus órgãos para pagar tickets de estacionamento (mesmo na rua).

Os fiscais de estacionamento são piores que mosquitos.

  1. Apesar do que as pessoas forem lhe falar, o transporte público é muito bom.

Sério, é muito bom. O transito não é dos melhor, isto é verdade. Mas enquanto o sistema de transporte público não está ganhando nenhum prêmio, ele cobre 1.200 km das ruas, faixas e túneis e é muito efetivo para a cidade. Ok, se você vive 20 minutos (20km+) fora do centro da cidade, isto poderá ser um problema (assim como a maioria das cidades) e, sim, isto fica lotado por causa das milhões de pessoas que trabalhando no centro (assim como a maioria das cidades). Mas em média, isto custo em torno de $141,50 por mês para usar todos os transportes públicos (ônibus, trem elétrico e metro) quantas vezes quiser.

ttc

  1. Existem MUITAS pessoas bonitas aqui.

Isto é muito legal. 🙂

  1. Existem MUITAS pessoas desagradáveis aqui.

Isto não é muito legal. 😦

  1. Sim, nós temos um inverno gelado; Sim, isto dura um bom tempo; Sim, isto pode ser irritante; Sim, nós vendemos jaquetas quentes e botas a prova de água. Nós temos muita eletricidade, então isto não é um grande problema, a menos que você esteja somente reclamando sobre estas coisas.

Honestamente, com o correto jeito de ver as coisas, isto é até divertido, pois permite você mergulhar em um espectro completo de esportes e atividades. E o verão na cidade? Nossa, é muita coisa acontecendo, isto faz sua cabeça girar…

  1. Nós temos uma bela situação em relação a praias

Temos longos caminhos para ciclismo, roller, etc; Muitas quadras de voleibol e acesso a todos os mais estranhos tipos de caminhões de sorvete que você possa querer.  Também, pegue a balsa até a ilha Ward, e você irá encontrar uma bela pequena praia lá também. Nós também temos uma praia de nudismo.

  1. Muitas pessoas de outras cidades Canadenses nos odeiam

Isto é tão estranho quanto parece, mas se acostume com isto. Honestamente, nós não sabemos o motivo disto, mas pensamos que tem alguma relação com a conveniência de estamos próximos do centro do universo. 😛

FONTE: http://notable.ca/20-things-you-should-know-before-moving-to-toronto/

Primeiro Mês – Avaliação

Hoje, dia 29/07, é um dia especial para nós, pois completamos 1 mês desde que chegamos em Toronto, Canada. Confesso para vocês que este tempo ainda não foi suficiente para conhecermos o que a cidade tem para nos oferecer, mas já foi suficiente para termos uma boa ideia.
 
Desde que chegamos aqui nosso foco foi em resolvermos questões burocráticas, entender como algumas coisas funcionam e, principalmente, encontrar um bom apartamento para nossa primeira morada. 
 
Os objetivos do primeiro mês foram todos atingidos, fizemos todos os documentos que precisávamos (ainda falta a carteira de motorista), entendemos como funcionam os serviços públicos e os direitos que temos, alugamos um apartamento, mobiliamos 100% do apartamento e iniciamos as aulas de verão de Inglês (somente julho/15). 
Também já estamos matriculados nas aulas regulares de Inglês e Francês, ambas com inicio previsto para setembro/15 e, o melhor, tudo gratuito.
 
Não temos como deixar de comentar as diferenças que encontramos aqui, mas não com o objetivo de comparar com o Brasil, mas com o objetivo de explicar para nossos amigos a familiares os benefícios que tivemos com a mudança. Vamos a eles:

 

  • Toronto possui mais de 50% da sua população de origem estrangeira, ou seja, convivemos com muitas culturas diferentes e temos mais contatos com quem não é Canadense.
  • A população em geral é realmente MUITO educada e solidária, é algo que está na raiz dos moradores do Canadá. Desde uma simples ajuda com sacolas de mercado, passando por segurar a porta para passarmos e até mesmo com doações de móveis para a casa (sim, aconteceu conosco, foi muito legal).
  • O nível de desconfiança entre as pessoas é extremamente baixo, o pessoal tende a confiar mais uns nos outros e consequentemente a sensação de segurança é impressionante. Não há qualquer problema em voltar as 2 da manhã para casa caminhando sozinho (a), há uma grande sensação que estamos seguros. OBS: Não estou dizendo que não há crime, mas é incomparável com a realidade que vivíamos.
  • Há uma conscientização grande em relação a reciclagem de lixo, o governo cobra isto e quem não cumprir é multado. No nosso prédio, por exemplo, eles distribuem até embalagem para armazenarmos gordura/óleo usado antes de colocarmos no lixo.
  • A cidade de Toronto é realmente grande e possui outras cidades que fazem para da Grande Toronto. Eles organizam a cidade em norte, sul, leste e oeste, o que torna muito fácil entender a cidade, onde estamos e para onde queremos ir.
  • O transporte público é EXCELENTE. Temos a disposição ônibus, trem elétrico e metro, sem contar os trens que fazem as conexões entre as cidades próximas. Nada é muito novo, mas tudo funciona perfeitamente, com raros atrasos e problemas. Neste primeiro mês nunca esperamos mais de 10 minutos por algum transporte.
  • Pan Americano: Não conseguimos curtir muito o Pan, mas o pouco que conseguimos, vimos que o ocorreu tudo conforme planejado e não afetou negativamente em nada o dia-a-dia dos Canadenses.
  • Verão: simplesmente fenomenal, a temperatura varia entre 25º e 30º (sensação térmica é ainda maior) e chove ocasionalmente. Toronto possui muitas atrações diárias (gratuitas e pagas) para que a população aproveite ao máximo este período. Os parques estão sempre movimentados, assim como as praias ao redor do lago Ontário.
  • Toronto possui muitas bibliotecas públicas as quais podem ir e retirar livros, filmes, seriados, acessar internet, imprimir documentos, etc. É um serviço muito importante para a população. Além disto, todas as semanas nós podemos pegar gratuitamente um ingresso para algum museu/atração de Toronto.
  • Toronto possui muitas atrações turísticas que ainda não conseguimos ir: CN Tower, Casa Loma, ROM, Island of Toronto, Cataratas do Niágara, Rogers Arena, BMO Field, etc. É realmente muita coisa legal! 😀
  • Além das diversas atrações turísticas comentadas acima, Toronto possui vários festivais incríveis ao longo do ano (pelo menos 1 por mês), como por exemplo Festival of India, Taste of Danforth/Greek Festival, Buskerfest, Icefest entre outros. Impossível ficar entediado 😛

 

Bom, acho que é isto, devemos ter esquecido de comentar alguma coisa, mas vamos tentar escrever mais sobre nossa vida aqui e sobre as curiosidades do país. 🙂

Steve Jobs – Frases Marcantes

Galera, fugindo um pouco do objetivo do blog, mas fazendo uma geração de conteúdo interessante, seguem algumas frases/opiniões do Steve Jobs para incentivar vocês.

Coloquei algumas observações em algumas frases de acordo com minha opinião. 😉

Frases:

1 – Encare as decisões difíceis e não se deixe levar pela emoção. Avalie o problema de forma objetiva, mas jamais tenha medo de errar.

2 – Busque informações e fuja das suposições. Faça sempre uma avaliação completa e baseie suas decisões nesses dados. É duro, mas justo.

3 – Trabalhe em equipe. Evite colocar toda a carga das decisões difíceis sobre as suas costas.

4 – Foco, foco, foco. Focar é o mesmo que dizer não. A Apple sempre concentrou seus recursos em um pequeno número de projetos, mas muito bem executados.

5 – Seja quase um déspota (autoritário). Afinal, alguém tem que dar as ordens.
Lucas: Realmente alguém tem que dar ordens, mas não esqueçam que isto deve ser interpretado de uma forma sutil.

6 – Gere alternativas para escolher a melhor. Jobs sempre insistiu com a equipe para ter opções e as descartava sem muita discussão.

7 – Simplifique. Fuja do complexo e diga não ao supérfluo.

8 – Crie os projetos pixel a pixel. Desça até os mínimos detalhes. Jobs se prendia a miudezas tidas como insignificantes por muitos CEOs.
Lucas: não esqueça que delegar também é importante. Se tiver alguém do seu time que consiga entregar o projeto com qualidade, não será tão necessário entrar nos mínimos detalhes, visto que será perda de foco.

9 – Não tenha medo de recomeçar. Valeu a pena refazer o MacOS X, mesmo à custa do trabalho de mil programadores por três anos.

10 – Não dê muito ouvidos a seus compradores. Eles provavelmente ainda não sabem o que querem.
Lucas: esta frase é muito duvidosa. Isto se aplicou a um projeto específico dele, mas não se aplica na maioria dos casos. Seus clientes possuem o melhor feedback sobre seu trabalho, serviços e produtos.

11 – Demita os idiotas. Funcionários talentosos são uma vantagem competitiva para qualquer empresa.

12 – Se perder o barco, trabalhe para recuperar o tempo perdido. Jobs não percebeu a revolução da música digital no seu início. Mas criou um modelo de negócios vencedor.

13 – Conecte-se, estude. Uma cultura corporativa é feita de insights. Conecte-se a diferentes tribos e estude temas desvinculados ao trabalho.

14 – Gere e Teste. As interfaces revolucionárias do iPod e do iPhone foram descobertas por tentativa e erro.

15 – Seduza. Jobs sabia ser um grande sedutor quando necessário.

16 – Faça as perguntas certas. Mas duvide sempre das respostas.

17 – Defina prazo e cobre. Jobs queria o iPod nas lojas no outono de 2001. A equipe teve seis meses para lançá-lo.

18 – Busque oportunidades. A Apple não estava no negócio de dispositivos eletrônicos. Curioso, Jobs queria entender esse mercado. E o dominou.

19 – Queime os navios. Jobs matou o mais popular iPod para dar lugar a um modelo mais fino.

20 – Evite as concessões. A obsessão de Jobs por excelência criou um singular processo de criação que gerou uma família de produtos inovadores.
Lucas: em algumas vezes as concessões são necessárias, especialmente para manter as coisas em ordem. 

Era isto, estava com saudades de postar algo! 😛