Arquivo da categoria: Gerais

Voluntariado, Empregos e Experiências Acadêmicas

Olá pessoal, sou a Bruna e este é um post que gostaria de compartilhar um pouco com vocês sobre minha trajetória no Canadá, particularmente em relação ao trabalho.

Se mudar para um novo país não é fácil. Se adaptar a uma nova cultura, língua e ter que lidar com a saudade da família e amigos é processo dolorido. Além de toda esta mudança, vem junto a ansiedade e preocupação de começar a estruturar e construir a nova vida.

Nosso projeto de 12 meses foi planejado da seguinte forma:

0 – 3 meses: ajuste de orçamento, moradia, conhecer a cidade, adaptação a cultura, entender o mercado de trabalho e estudar Inglês;

3 – 6 meses: estudar Inglês, cursos técnicos, procurar emprego e adaptação ao inverno;

6 – 12 meses: adaptação a cultura no mercado de trabalho, ajuste do orçamento para adaptar ao nosso estilo de vida e começar a investir em lazer.

Quando chegamos no Canadá, apesar de eu ter um nível de inglês razoável, eu era muito “trancada” e tímida para falar, o que fez que meu plano inicial fosse estudar inglês e me envolver em atividades voluntárias para “desenrolar o inglês” e também, aos poucos ir adquirindo a tão pedida “experiência Canadense”.

Pouco mais de um mês no Canadá, mais precisamente no dia 09 de Agosto de 2015, nos inscrevemos para voluntariar em um evento para a comunidade em um parque (Sunday in the Park) e basicamente ajudamos a organizar o evento (carregar mesas, cadeiras, etc.) e depois durante o evento também ajudamos a atender o pessoal.

IMG_0238

Neste evento conhecemos muitas pessoas legais, uma delas foi a organizadora deste evento que trabalhava para a Yonge Street Mission (YSM) Community Centre, empresa na qual futuramente, indicada por ela, apliquei para uma vaga de Assistente Administrativo (voluntário).

Em Agosto de 2015 comecei a voluntariar 2 vezes por semana na YSM ajudando com algumas tarefas administrativas e como recepcionista (o que me ajudou muito a “destravar” e perder a vergonha de falar em inglês). Fiquei trabalhando 1 ano lá como voluntária.

12063496_968888346502422_671097244321966531_n

Neste mesmo período, iniciei um curso (Certificate Program) no Centennial College chamado Occupation Specific Language Training in Business Marketing and Sales (Vendas e Marketing em Negócios – este curso é gratuito para residentes permanentes). As aulas eram focadas na comunicação para negócios, marketing e vendas. Estudava 2 vezes por semana presencialmente com algumas atividades online. O curso começou no final de Agosto e terminou em Dezembro, foi muito proveitoso para mim.

13124668_1093717564019499_8873671711613871320_n

Vamos falar sobre emprego remunerado agora, o que não foi nem um pouco fácil no começo…

E em Outubro de 2015 comecei a trabalhar como housekeeping (faxineira) na Air Canada Centre (arena onde jogam o Raptors/NBA, Maple Leafs/NHL e acontecem vários shows), o que nos deu uma ajuda financeira. O salário que eu recebia na época não era muito, mas pagava uma boa parte das contas.

A vida aqui no começo é cara, especialmente por causa da diferença do câmbio. Estávamos trazendo nossas economias do Brasil todo mês, então esta entrada de um “salariozinho” em valor canadense nos deu um certo ânimo.

Os primeiros meses de trabalho não foram nada fáceis, minhas shifts eram das 11h da noite às 6h da manhã (trabalhava de madrugada) e era um trabalho pesado. Eu limpava em média 15 salas executivas da arena por noite, passando aspirador, pano no chão, pano nos móveis, recolhendo lixo e, eu ainda limpava os banheiros.

As vezes me pegava pensando: “Por que eu deixei meu bom emprego no Brasil para trabalhar em um sub-emprego no Canadá?” Mesmo eu tendo em mente que era uma coisa temporária, que depois de um tempo eu arrumaria um emprego melhor e na minha área de estudo e, que tudo ficaria bem, confesso que isso me assustava um pouco e as vezes batia até um desânimo.

O subemprego pode ser uma experiência necessária para o crescimento profissional em outro país.

Nunca senti vergonha de dizer que trabalhava como housekeeping, mas o sentimento de angústia e a saudade de poder trabalhar na minha área seguidamente me assombrava.

Depois de uns 4 meses trabalhando durante a madrugada, comecei a trabalhar em algumas shifts durante os eventos, o que tornou o trabalho um pouco mais divertido, uma vez que tive a oportunidade de assistir alguns shows tais como Madonna, Adele, Gwen Stefani, Selena Gomez, Ariana Grande, Ellie Goulding, entre outros e, também alguns jogos do Maple Leafs, Raptors e até o All-Star Game da NBA, tudo isto enquanto trabalhava.

IMG_2483

Em junho de 2016 comecei a trabalhar na Winners Store, uma loja de departamentos. Minhas shifts eram normalmente de 6 a 7 horas, o trabalho era tranquilo, pois eu trabalhava atendendo clientes, atendendo no caixa e organizando a loja e o estoque.

Enfim, em Setembro de 2016, consegui o primeiro emprego relacionado com a minha área. Comecei a trabalhar na Woman Abuse Council of Toronto (Conselho de Mulheres Abusadas de Toronto) como Social Media and Volunteer Supporter (Assistente de Mídias Sociais e Voluntários). Este trabalho era part time (apenas 1 a 2 dias por semana), mas mesmo assim fiquei muito feliz e realizada pela oportunidade de estar finalmente começando a trabalhar na minha área.

Screen Shot 2017-07-08 at 11.34.46 PM

Fiquei mais 1 mês trabalhando nos 3 empregos (sim, 3! Hahaha), estava trabalhando na Winners Store, na Air Canada Centre a noite e na WomanACT. Fiquei exausta, foi praticamente impossível conseguir manter todos os empregos e ainda se manter saudável. Este cenário me levou a pedir demissão da Air Canada Centre.

Em Janeiro de 2017, comecei minha pós-graduação em Digital Media Marketing (Marketing em Mídias Digitais) no George Brown.

No último dia do primeiro semestre, após uma louca semana de 7 provas finais e 3 apresentações de projetos, recebi uma oferta de trabalho full-time. Isto foi em Maio de 2017, quando comecei a trabalhar na Smilegate West como CSR (Representante de Atendimento ao Cliente), foi uma alívio e uma sensação de que tudo o que eu fiz anteriormente estava dando resultado. Isto fez com que eu também pedisse demissão da Winners Store.

Hoje, finalmente, minha carreira está começando a se estruturar e estou me sentindo muito realizada. Continuo trabalhando part-time (de casa somente) para WomanACT e full-time na Smilegate West.

Quando olho para trás e vejo o que passei para chegar onde estou, vejo que continuando a trabalhar dura e com dedicação, ainda posso chegar muito longe. Não tenho como não me emocionar, só eu sei quanto sacrifício, suor e lágrimas derramei.

Se você já passou por uma experiência de trabalho no exterior parecida ou está planejando morar “fora”, acredito que o importante é ter a mente aberta para poder encarar os novos desafios tendo sempre objetivos de médio e longo prazo traçados e não perder o foco para poder alcança-los.

Anúncios

2º Ano de Canadá!!!

E lá se vão 2 anos no Canadá!!! Se pararmos para analisar e olharmos 4 anos atrás, nunca imaginariamos que iriamos nos mudar para o Canadá, quem dirá estar completando 2 anos!!

Estamos muito felizes com nossa vida aqui, nos adaptamos muito bem e temos muito claro para nós que tomamos a decisão certa em nossas vidas.

Segundo nossa documentação, completamos 2 anos oficialmente dia 28/06/2017 (embora tenhamos chegado no Canadá dia 29/06/2017 a 1h da manhã).

O que nos deixa ainda mais felizes de estar comemorando 2 anos morando nesta pais que nos acolheu tão bem é que neste ano o Canadá está completando 150 anos no dia 01/07/2017, data pertinho da data que chegamos. Então as comemorações estão sendo duplas para nós.

No tópicos abaixo vamos dar nossa opinião sobre o Canadá e o que já percebemos nestes 2 anos aqui.

Sentimento de Lar

Definitivamente já nos sentimos em casa, estamos bem adaptados a cidade, de certa forma adaptados ao clima, já temos uma rotina definida e planejamos nossa vida a médio e longo prazo.
O que falta, logicamente, é a família e amigos por perto, isto ainda faz com que a cabeça seguidamente esteja no Brasil. O que faz com que isto seja amenizado é a conquista de novos (e até antigos) amigos, os quais também estão na mesma situação que a gente, então isto torna a relação de ganha-ganha e de grande doação das partes.

Cultura

Considerando a cultura geral, acreditamos que por Toronto se tratar de um cidade cosmopolita, a adaptação é relativamente fácil.
O Canadense é realmente muito educado, o que faz com que tenhamos que transmitir a mensagem de uma forma menos direta do que estamos habituados. Por vezes isto faz com que sejamos visto como muito diretos e não tão educados, mas isto fará parte das nossas vidas por mais alguns anos.
Há muitas pessoas morando no Canadá que não nasceram aqui, e em Toronto este número é ainda maior (51%), o que também cria o desafio de entender outras culturas e ajustar as conversas de acordo.
Embora o Canadense seja muito educado, fazer uma amizade já é bem diferente. Em geral, a confiança vem com o tempo, diferente da nossa cultura onde a amizade/parceria é criada em pouco dias/eventos.

Idioma (Inglês/Francês)

Sem dúvida este ainda é o maior desafio. Estamos com o nível avançado, entendemos tudo 100%, conseguimos nos comunicar muito bem, mas ainda há um grande caminho para que possamos nos expressar de uma forma natural, especialmente quando queremos explicar problemas complexos ou utilizar muitos exemplos, cenários diferentes, etc.
O sotaque não é uma preocupação para nós, sabemos que provavelmente nunca perderemos o sotaque brasileiro de falar Inglês, então não é um problema. Esperamos que em mais um ou dois anos, estejamos satisfeitos com o nosso nível, veremos….
Sobre o Francês, isto é praticamente desnecessário em Toronto, somente no Quebec é algo que realmente é exigido e faz bastante diferença. Eu acredito que o Francês poderá ser uma exigência futura em cargos de gestão, onde parte da equipe ou operação da empresa esteja fortemente no Quebec, mas não temos planos de investir no idioma ainda.

Inverno

Estamos convivendo bem com o inverno, embora a duração seja maior do que gostariamos. As temperaturas negativas não chegam ser um grande desafio, pois tudo aqui é preparado para o inverno, inclusive roupas e calçados.
O desafio maior é ficar praticamente 6 meses em locais fechados e com raras aparições do sol.
A maneira que achamos para lidar bem com isto é não deixar o inverno nos controlar, por isto tentamos ao máximo sair de casa e nos envolver em esportes de inverno, tais como Ice Skating (somente a Bruna) e Snowboarding.

Verão

Sem dúvida é o melhor período do ano para nós, o verão aqui é SENSACIONAL!!!! Praticamos esportes praticamente todos os dias, isto inclui futebol, corrida, tennis e bicicleta. Está é uma das grandes diferenças e vantagens daqui, há muitas opções esportivas e locais gratuítos para praticar os esportes.
Também aproveitamos muito para fazer viagens curtas para cidades aos arredores de Toronto, onde podemos aproveitar um pouco dos muitos lagos que existem no Canadá.
O verão não é muito longo, aproximadamente 3 meses, então tentamos realmente sair todos os finais de semana e aproveitar todas as tardes, especialmente porque começa a escurecer as 8h30-9h da noite no verão.

Segurança

Esta é uma das MAIORES mudanças em nossas vidas! Foi por este motivo que decidimos sair do Brasil e certamente este é o maior motivo que fará com que nossa vida seja por aqui. Este é um tópico que não está mais no nosso dia-a-dia, algo que não conversamos mais. Talvez com palavras não conseguimos explicar o que isto significa para nós, mas é algo gigante. As preocupações atuais são sobre projetos futuros, onde viajar, o que estudar, melhor forma de investir, etc.
Por várias vezes chegamos a esquecer de chaviar a porta de casa, pois a cabeça acaba até desligando.
Utilizar o celular na rua é natural, não importa o horário. Teve uma ocasião logo que chegamos no Canadá em que saimos de um PUB a 1.00AM e viemos para casa conversando e pesquisando coisas no celular na rua. Quando chegamos em casa que percebemos que fizemos isto ao natural, sem se preocupar se alguém iria nos roubar, foi ai que realmente caiu a ficha da mudança.

Trabalho (Empresas e Cultura)

Estamos ambos empregados full-time em duas empresas boas. Lucas no Royal Bank of Canada, como Gerente de Projetos e Bruna na Smilegate West, como representante de relacionamento com o cliente.
O maior desafio aqui é que a politicagem é MUITO maior que no Brasil, então para quem é muito transparente nas opiniões, que é nosso caso, sofre um pouco para se adaptar.
O feedback aqui não é sincero (infelizmente), pois há uma intenção muito grande de proteger o ser humano, não deixar ninguém magoado ou algo do tipo, porém isto tem um custo que é a falta de transparência e por vezes, até honestidade. Isto também dificulta a evolução do profissional, pois se não há um feedback honesto, não há a possibilidade de saber o que está realmente errado ou o que pode melhorar.
O desafio aqui é se manter motivado sabendo que tua experiência não é tão valorizada como deveria e que tem gente menos competente em posições mais altas por ter nascido no Canadá ou ter mais anos dentro da empresa. O conhecimento na área é secundário frente a estes fatores, pelo menos na experiência que estamos tendo.

Financeiro

Nós demoramos 7 meses para conseguimos equilibrar receitas e despesas aqui no Canadá, o que foi bem complicado para o psicológico. Hoje podemos dizer que estamos dentro da média salarial do Canadá, conseguimos pagar todas as despesas fixas, ter valores reservados para lazer e viagens e ainda colocar um pouco de dinheiro na poupança. Ainda temos nosso plano de aposentaria público e privado.
Ainda há muito o que melhorar, especialmente para termos a situação financeira que tinhamos no Brasil, mas entendemos que temos que ter paciência que em mais alguns anos podemos chegar lá.

Casa (Aluguel ou Compra)

Atualmente moramos de aluguel em uma das melhores regiões de Toronto (Yonge e Eglinton) em um apartamento de 1 quarto. Destacamos que a sala é grande é que há espaço para receber visitas, aliás, já recebemos várias. J
Comprar uma casa em Toronto é algo inviável, estamos falando de um investimento mínimo de 1 milhão de dólares, o que claramente não temos!! Nossas opções seriam comprar um condo/apartamento de 2 quartos em Toronto ou uma casa mais afastada da cidade (na grande Toronto), porém estamos com um mortgage (valor que o banco autoriza para compra de imóveis) abaixo do que precisamos para isto, então ainda estamos distante de comprarmos algo.

Carro

O pensamento de comprar um carro seguidamente vem em nossa cabeça, porém o custo x benefício não valeria a pena agora. Não há uma necessidade imediata, em todas as vezes que precisamos de carro, optamos por alugar, o que no final das contas sai bem mais barato que comprar um carro (logicamente, no nosso caso).

Viagens

Quem nos conhece sabe como somos apaixonados por viajar e isto faz com que parte de nosso budget seja guardado para isto. Como viajávamos bastante no Brasil, este aspecto não mudou muito para nós em termos de quantidade, o que mudou foram as opções. Aqui é mais barato viajar do que era no Brasil e isto faz como que tenhamos muitas opções, inclusives para viagens de 3-5 dias.
Desde que nos mudamos para o Canadá, mesmo com contenção de despesas, tivemos a oportunidade de fazer as seguintes viagens: Canadá (Montreal, Quebec City, Niagara, Windsor e várias cidades próximas a Toronto), USA (Orlando/Disney, Washington e Atlanta) e República Dominicana (Punta Cana).

 

Este post mistura um pouco nossa opinião sobre o Canadá, as diferenças e também nossa situação atual depois de 2 anos aqui. Certamente faltou muita coisa, mas infelizmente para falar tudo, o post se tornaria ainda mais longo. Esperamos que tenham chegado até o final e que tenham gostado do que escrevemos. Caso tenham alguma dúvida, fiquem a vontade para entrar em contato.

Abraços a TODOS!!!

Express Entry – Mudanças (6 de Junho de 2017)

Fala Galera,

Tudo certo? Estamos tentando manter o blog sempre atualizado com as mudanças do Express Entry, mas confessamos que está cada dia mais difícil. O tempo está curto e o Express Entry está mudando seguidamente, positivamente.

A partir do dia 6 de Junho, algumas mudanças entraram em vigor. O idioma Francês agora irá contar mais pontos, também receberá pontos que tiver irmãos no Canadá e por último, e a menos relevante das mudanças, a aplicação ao job bank ficou opcional.

  • 15 pontos adicionais se tirar NLC (Niveaux de compétence linguistique canadiens – Francês) maior que 7 nas quatro habilidades e CLB (Canadian Language Benchmark – Inglês) menor ou igual a 4. Caso o CLB seja maior que 4, o pontos recebidos serão 30.
  • 15 pontos para que tiver um irmão maior de 18 anos como Canadense ou Residente no Canadá. O irmão poderá ser do principal aplicante ou do acompanhante.
  • Não há mais obrigatoriedade de se cadastrar no job bank.

Abaixo você encontrará uma tabela com as mudanças.

Antes de 6 de Junho de 2017

Após 6 de Novembro de 2017

Francês

Pontuação adicional não era consedida para candidatos com avançado conhecimento de Francês.

A pontuação máxima para a segunda língua, caso fosse o Francês, seria de no máximo 24 pontos.

 

Pontuação adicional será dada a candidatos com avançado conhecimento em Francês.

15 pontos adicionais se tirar NLC (Niveaux de compétence linguistique canadiens – Francês) maior que 7 nas quatro habilidades e CLB (Canadian Language Benchmark – Inglês) menor ou igual a 4. Caso o CLB seja maior que 4, o pontos recebidos serão 30.

Irmãos no Canadá

Não havia benefício para quem possuia irmãos maiores de 18 anos residentes no Canadá.

 

15 pontos serão creditados para quem possuir irmãos residentes no Canadá.

O(A) irmão/irmã deverá ser maior de idade (18+ anos) e ser Canadense ou Residente Permanente.

Tanto o aplicante principal ou o acompanhante poderão ter o parentesco.
O parentesco é válidado desde que os irmãos tenha o mesmo pai ou mesma mãe e, isto é válido para irmãos de sangue, adotados ou por casamento dos pais.

Job Bank

Depois da aplicação o candidato deveria criar uma conta no Job Bank.

 

A criação da conta no Job Bank será opcional.

Nossa visão é que o sistema para melhor, especialmente na questão da pontuação para irmão.

Tutorial de Como se Divertir em um Dia de Muita Neve em Toronto

Fa galera!

Aqui vai um video tutorial de como se divertir (e muito) gastando quase nada em um dia de inverno com muita neve em Toronto.

Este video foi gravado no Riverdale Park em Toronto (Endereço: 550 Broadview Ave) com a participação especial dos amigos Francine, Fabiano e Lipe.

Ps: Gasto: $15 (pranchinha comprada no wallmart)

Road Trip – Washington DC

Fala galera!

Esta viagem para Washington DC foi feita de carro saindo de Toronto e com uma parada em Pittsburgh para pouso. Estamos um pouco atrasados na postagem (desculpa ai!) – A viagem aconteceu em Novembro de 2016.

Saimos de Toronto dia 10 de Novembro (quinta-feira) a tarde, paramos por volta de meia noite em Pittsburgh e dormimos em um hotel de beira de estrada, e no dia seguinte continuamos a viagem com destino a Washington DC (chegamos sexta-feira por volta do meio dia).

Tivemos 1 dia e meio para aproveitar a cidade (sexta e sábado). E podemos dizer que foi tempo suficiente para turistar por esta cidade que nos surpreendeu e nos encantou com seus museus (maioria de graça), arquitetura e população acolhedora e simpática.

O Canadá está fazendo aniversário, mas quem ganha o presente somos nós!

Para celebrar o 150º aniversário de nosso país (sim, já consideremos nosso 🙂 ), o governo do Canadá está oferecendo de presente a admissão gratuita em todos os Parques Nacionais, Locais Históricos e Áreas Marinhas de Conservação do Canadá durante todo o ano de 2017!

Encomende agora o seu Discovery Pass!

Comemore o 150º aniversário do Canadá na melhor forma possível: explorando este país lindo de natureza exuberante!

Aventura e diversão para toda a família, ou até mesmo uma curta pausa do cotidiano… Nunca houve uma melhor oportunidade para tornar o seu Canadian Dream (Parks) uma realidade!

PKDISC150_bg.jpg

Tá no ar! Road Trip – Montreal e Quebec City

Olá galerinha!

Como comentamos no post anterior, nos enrolamos um pouco pra lançar o nosso Canal no Youtube. Mas agora ele está no ar e vamos compartilhar com vocês alguns momentos da nossa vida aqui no Canadá.

Esta viagem para a província do Quebec foi feita em maio (desculpem o atraso, antes tarde do que nunca).

Aproveitamos o feriadinho do Victoria Day e saímos de Toronto na sexta por volta das 16h e voltamos na segunda a tarde. Apesar de o tempo ter sido curto, conseguimos aproveitar e visitar os principais pontos turísticos das duas cidades!

Canadian Dream Vlog – Agora também estamos no Youtube

Agora o Canadian Dream também está no Youtube! Isto mesmo! Apesar da nossa falta de intimidade com a câmera (motivo pelo qual este projeto demorou tanto pra sair do forno), vamos começar a postar videos regularmente mostrando um pouco da vida em Toronto, curiosidades, viagens e muito mais! Convidamos todos para se inscrever no nosso canal,  assistir o primeiro videos que já postamos e deixarem um jóinha para sabermos que vocês gostaram do video! 🙂

Assista o nosso primeiro video clicando aqui.

1º Ano de Canadá!!!

Dia 28/06/2016 completamos oficialmente 1 ano no Canada. A verdade é que chegamos nos primeiros minutos do dia 29 de junho, porém a imigração oficializou nosso landing dia 28 de junho de 2015, o qual se torna nossa data oficial para celebrarmos o tempo em que moramos aqui.

Este dia é sem duvida o marco mais importante até agora, pelo simples motivo que encerramos o projeto de adaptação no país. Nosso planejamento inicial contava com um período de 12 meses os quais muitas decisões seriam tomadas, muitos ajustes seriam necessários e especialmente, muitas mudanças de comportamento da nossa parte para uma melhor adaptação à cultura local.

Comentamos com vocês que quando completamos 6 meses já estávamos nos sentindo em casa, o que falar depois de 1 ano então? Definitivamente estamos adaptados e não passa pela nossa cabeça um retorno ao Brasil, nossa nova casa é aqui.

Recapitulando nosso projeto de 12 meses:

  • 0 – 3 meses: ajuste de orçamento, moradia, conhecer a cidade, adaptação a cultura, entender o mercado de trabalho e estudar Inglês;
  • 3 – 6 meses: estudar Inglês, cursos técnicos, procurar emprego e adaptação ao inverno;
  • 6 – 12 meses: adaptação a cultura no mercado de trabalho, ajuste do orçamento para adaptar ao nosso estilo de vida e começar a investir em lazer.

Definitivamente nosso projeto inicial foi um sucesso, acredito que conseguimos fazer até mais do que o planejado. Tanto a Bruna quando eu, conseguimos fazer cursos em universidades já no primeiro ano, eu obtive 3 certificações (PMP, Scrum Master and Lean Six Sigma), ambos estamos bem empregados (a Bruna com mais de 1 emprego, inclusive), conseguimos um equilíbrio financeiro que nos permite investir em lazer e até iniciar nossa economia para a compra de um imóvel.

Tivemos a felicidade de nestes 12 meses recebermos a visita das nossas mães e também eu (Lucas) tive a oportunidade de passar alguns dias no Brasil, coisas que ajudaram muito a adaptação inicial. Outro fator muito importante foi de que amigos de infância que temos no Brasil continuam muito presentes em nossas vidas, isto foi e é fundamental para não nos sentirmos sozinhos. Também conseguimos fazer um bom ciclo de amizade aqui no Canada, o que ajuda a criar laços ainda mais forte com o país.

Nosso planejamento não incluía utilizamos o OHIP (plano publico de saúde) com tanta frequência, mas aconteceu. Eu operei da apêndice e atualmente estou aguardando o diagnostico da lesão no joelho para saber se terei que passar por uma cirurgia e reconstruir o ligamento cruzado do joelho direito. Como a saúde e gratuita aqui no Canada, são coisas que não afetaram nosso planejamento financeiro, mas logicamente tiveram um reflexo na nossa rotina.

Vamos falar um pouco do Canada então, neste um ano realmente confirmamos muitas coisas que havíamos pesquisados antes de vir.

– Segurança: é algo que não nos preocupa mais. Sinceramente, não lembramos a última vez que nos preocupamos em ser assaltados ou algo do tipo, depois de um tempo tu acabas eliminando estes pensamentos da cabeça, porque tu não escutas nada disto por aqui. Não quer dizer que tu não vá ser assaltado, mas quer dizer que a probabilidade é tão baixa, que não vale a pena a preocupação. Hoje em dia tiramos o celular do bolso em qualquer hora, inclusive de madrugada. Aliás, muitas vezes voltamos para casa depois da meia noite e com sentimento de segurança absurdo, o mesmo que temos durante o dia.

– Educação das Pessoas: foi algo que nos impressionou no inicio da nossa vida aqui, as pessoas são muito educadas. “Bom dia”, “com licença”, “por favor”, “obrigado” e por ai vai… são palavras quase que obrigatórias e não é somente por cultura, é verdadeiro. Logicamente já cruzamos com pessoas mal educadas, a grande maioria não era canadense, mas em linhas gerais, a educação aqui é bem alta. Um fator negativo que tenho a destacar é no mercado de trabalho, como o Canadense é muito educado, ele evita conflito e por vezes acaba agindo “nas costas” da pessoa, talvez por inocência, talvez por sacanagem… realmente não sei, mas vejo acontecendo isto seguidamente no mercado de trabalho. É algo para abrir o olho!!

– Inverno: Bom, aqui eh onde eu e a Bruna temos opiniões diferentes:
LUCAS: Minha opinião é que não é muito bom não, o inverno é muito longo e te limita bastante, é muito difícil continuar com o ritmo que tu tens no verão ou até mesmo com o que temos no inverno Gaúcho. Praticar esportes na rua, somente se for snowboarding ou skiing, o resto terá que ser indoor. Logicamente que quando tu aproveitas a neve e tem condições de ir para as montanhas, o inverno se torna sensacional, mas não são todos os meses que tu consegues isto. O frio não é um problema, tu estás sempre bem agasalhado e dentro de casa esta sempre quente, mesmo quando temos temperaturas negativas.
BRUNA: Entendo e acredito que muitas pessoas não gostam da ideia de viver em um lugar onde faz temperaturas negativas em quase 50% dos dias do ano. Eu, particularmente, nunca gostai de inverno, do frio e de ter que andar com vááárias camadas de roupas. O engraçado é que o Canadá me fez mudar de ideia na primeira neve que presenciei. Eu amo o inverno daqui, amo aquele frio (quase insuportável) pelo simples fato de toda a beleza que o inverno daqui traz. Amo acordar pela manhã e olhar pela janela aquela paisagem branquinha. Amo colocar minhas botas de neve naqueles dias de muitaaaa neve caminhar pelas ruas de Toronto só para ter aquele prazer de pisar na neve branquinha e fofinha. Amo os esportes de inverno (snowboarding, skiing, ice skating, “skibunda”…), apensar de não ter experimentado ainda todos estes esportes, todas estas possibilidades me deixam muito animada para o inverno. Sem falar o quão preparado o Canada é para o inverno, tu só sente o frio mesmo a céu aberto na rua, porque todos os lugares aqui tem calefação ou são bem protegidos para o frio (casas, prédios, ônibus, metro…) Resumindo, AMO o Canada e tudo que o Canada nos proporciona. Amo a vida que levamos aqui.

– Francês: ninguém fala Francês em Ontário, podem até saber falar, mas aqui, é raro escutar.

– Inglês: Comunicação não é mais um problema para nós, já conseguimos entender tudo e falar o que queremos. Logicamente temos muito a melhorar, mas não é mais um preocupação para nós.

– Viagens: conseguimos viajar relativamente bastante para os primeiros 12 meses. Visitamos Niagara Falls, Blue Montain, Windsor, Montreal (Quebec) e Quebec City (Quebec). Foram viagens curtinhas, mas já conseguimos conhecer um pouco da região. Nos próximos 12 meses a lista vai aumentar bastante.

Mais uma vez, aproveitamos para agradecer a todos que continuaram tendo contato seguido conosco, mesmo sabendo que fisicamente estaríamos distante e, pedimos para os que se afastaram, voltem a ter o contato conosco. Nós não morremos, só nos mudamos para um local geograficamente diferente.