Arquivo da categoria: Curiosidades

2º Ano de Canadá!!!

E lá se vão 2 anos no Canadá!!! Se pararmos para analisar e olharmos 4 anos atrás, nunca imaginariamos que iriamos nos mudar para o Canadá, quem dirá estar completando 2 anos!!

Estamos muito felizes com nossa vida aqui, nos adaptamos muito bem e temos muito claro para nós que tomamos a decisão certa em nossas vidas.

Segundo nossa documentação, completamos 2 anos oficialmente dia 28/06/2017 (embora tenhamos chegado no Canadá dia 29/06/2017 a 1h da manhã).

O que nos deixa ainda mais felizes de estar comemorando 2 anos morando nesta pais que nos acolheu tão bem é que neste ano o Canadá está completando 150 anos no dia 01/07/2017, data pertinho da data que chegamos. Então as comemorações estão sendo duplas para nós.

No tópicos abaixo vamos dar nossa opinião sobre o Canadá e o que já percebemos nestes 2 anos aqui.

Sentimento de Lar

Definitivamente já nos sentimos em casa, estamos bem adaptados a cidade, de certa forma adaptados ao clima, já temos uma rotina definida e planejamos nossa vida a médio e longo prazo.
O que falta, logicamente, é a família e amigos por perto, isto ainda faz com que a cabeça seguidamente esteja no Brasil. O que faz com que isto seja amenizado é a conquista de novos (e até antigos) amigos, os quais também estão na mesma situação que a gente, então isto torna a relação de ganha-ganha e de grande doação das partes.

Cultura

Considerando a cultura geral, acreditamos que por Toronto se tratar de um cidade cosmopolita, a adaptação é relativamente fácil.
O Canadense é realmente muito educado, o que faz com que tenhamos que transmitir a mensagem de uma forma menos direta do que estamos habituados. Por vezes isto faz com que sejamos visto como muito diretos e não tão educados, mas isto fará parte das nossas vidas por mais alguns anos.
Há muitas pessoas morando no Canadá que não nasceram aqui, e em Toronto este número é ainda maior (51%), o que também cria o desafio de entender outras culturas e ajustar as conversas de acordo.
Embora o Canadense seja muito educado, fazer uma amizade já é bem diferente. Em geral, a confiança vem com o tempo, diferente da nossa cultura onde a amizade/parceria é criada em pouco dias/eventos.

Idioma (Inglês/Francês)

Sem dúvida este ainda é o maior desafio. Estamos com o nível avançado, entendemos tudo 100%, conseguimos nos comunicar muito bem, mas ainda há um grande caminho para que possamos nos expressar de uma forma natural, especialmente quando queremos explicar problemas complexos ou utilizar muitos exemplos, cenários diferentes, etc.
O sotaque não é uma preocupação para nós, sabemos que provavelmente nunca perderemos o sotaque brasileiro de falar Inglês, então não é um problema. Esperamos que em mais um ou dois anos, estejamos satisfeitos com o nosso nível, veremos….
Sobre o Francês, isto é praticamente desnecessário em Toronto, somente no Quebec é algo que realmente é exigido e faz bastante diferença. Eu acredito que o Francês poderá ser uma exigência futura em cargos de gestão, onde parte da equipe ou operação da empresa esteja fortemente no Quebec, mas não temos planos de investir no idioma ainda.

Inverno

Estamos convivendo bem com o inverno, embora a duração seja maior do que gostariamos. As temperaturas negativas não chegam ser um grande desafio, pois tudo aqui é preparado para o inverno, inclusive roupas e calçados.
O desafio maior é ficar praticamente 6 meses em locais fechados e com raras aparições do sol.
A maneira que achamos para lidar bem com isto é não deixar o inverno nos controlar, por isto tentamos ao máximo sair de casa e nos envolver em esportes de inverno, tais como Ice Skating (somente a Bruna) e Snowboarding.

Verão

Sem dúvida é o melhor período do ano para nós, o verão aqui é SENSACIONAL!!!! Praticamos esportes praticamente todos os dias, isto inclui futebol, corrida, tennis e bicicleta. Está é uma das grandes diferenças e vantagens daqui, há muitas opções esportivas e locais gratuítos para praticar os esportes.
Também aproveitamos muito para fazer viagens curtas para cidades aos arredores de Toronto, onde podemos aproveitar um pouco dos muitos lagos que existem no Canadá.
O verão não é muito longo, aproximadamente 3 meses, então tentamos realmente sair todos os finais de semana e aproveitar todas as tardes, especialmente porque começa a escurecer as 8h30-9h da noite no verão.

Segurança

Esta é uma das MAIORES mudanças em nossas vidas! Foi por este motivo que decidimos sair do Brasil e certamente este é o maior motivo que fará com que nossa vida seja por aqui. Este é um tópico que não está mais no nosso dia-a-dia, algo que não conversamos mais. Talvez com palavras não conseguimos explicar o que isto significa para nós, mas é algo gigante. As preocupações atuais são sobre projetos futuros, onde viajar, o que estudar, melhor forma de investir, etc.
Por várias vezes chegamos a esquecer de chaviar a porta de casa, pois a cabeça acaba até desligando.
Utilizar o celular na rua é natural, não importa o horário. Teve uma ocasião logo que chegamos no Canadá em que saimos de um PUB a 1.00AM e viemos para casa conversando e pesquisando coisas no celular na rua. Quando chegamos em casa que percebemos que fizemos isto ao natural, sem se preocupar se alguém iria nos roubar, foi ai que realmente caiu a ficha da mudança.

Trabalho (Empresas e Cultura)

Estamos ambos empregados full-time em duas empresas boas. Lucas no Royal Bank of Canada, como Gerente de Projetos e Bruna na Smilegate West, como representante de relacionamento com o cliente.
O maior desafio aqui é que a politicagem é MUITO maior que no Brasil, então para quem é muito transparente nas opiniões, que é nosso caso, sofre um pouco para se adaptar.
O feedback aqui não é sincero (infelizmente), pois há uma intenção muito grande de proteger o ser humano, não deixar ninguém magoado ou algo do tipo, porém isto tem um custo que é a falta de transparência e por vezes, até honestidade. Isto também dificulta a evolução do profissional, pois se não há um feedback honesto, não há a possibilidade de saber o que está realmente errado ou o que pode melhorar.
O desafio aqui é se manter motivado sabendo que tua experiência não é tão valorizada como deveria e que tem gente menos competente em posições mais altas por ter nascido no Canadá ou ter mais anos dentro da empresa. O conhecimento na área é secundário frente a estes fatores, pelo menos na experiência que estamos tendo.

Financeiro

Nós demoramos 7 meses para conseguimos equilibrar receitas e despesas aqui no Canadá, o que foi bem complicado para o psicológico. Hoje podemos dizer que estamos dentro da média salarial do Canadá, conseguimos pagar todas as despesas fixas, ter valores reservados para lazer e viagens e ainda colocar um pouco de dinheiro na poupança. Ainda temos nosso plano de aposentaria público e privado.
Ainda há muito o que melhorar, especialmente para termos a situação financeira que tinhamos no Brasil, mas entendemos que temos que ter paciência que em mais alguns anos podemos chegar lá.

Casa (Aluguel ou Compra)

Atualmente moramos de aluguel em uma das melhores regiões de Toronto (Yonge e Eglinton) em um apartamento de 1 quarto. Destacamos que a sala é grande é que há espaço para receber visitas, aliás, já recebemos várias. J
Comprar uma casa em Toronto é algo inviável, estamos falando de um investimento mínimo de 1 milhão de dólares, o que claramente não temos!! Nossas opções seriam comprar um condo/apartamento de 2 quartos em Toronto ou uma casa mais afastada da cidade (na grande Toronto), porém estamos com um mortgage (valor que o banco autoriza para compra de imóveis) abaixo do que precisamos para isto, então ainda estamos distante de comprarmos algo.

Carro

O pensamento de comprar um carro seguidamente vem em nossa cabeça, porém o custo x benefício não valeria a pena agora. Não há uma necessidade imediata, em todas as vezes que precisamos de carro, optamos por alugar, o que no final das contas sai bem mais barato que comprar um carro (logicamente, no nosso caso).

Viagens

Quem nos conhece sabe como somos apaixonados por viajar e isto faz com que parte de nosso budget seja guardado para isto. Como viajávamos bastante no Brasil, este aspecto não mudou muito para nós em termos de quantidade, o que mudou foram as opções. Aqui é mais barato viajar do que era no Brasil e isto faz como que tenhamos muitas opções, inclusives para viagens de 3-5 dias.
Desde que nos mudamos para o Canadá, mesmo com contenção de despesas, tivemos a oportunidade de fazer as seguintes viagens: Canadá (Montreal, Quebec City, Niagara, Windsor e várias cidades próximas a Toronto), USA (Orlando/Disney, Washington e Atlanta) e República Dominicana (Punta Cana).

 

Este post mistura um pouco nossa opinião sobre o Canadá, as diferenças e também nossa situação atual depois de 2 anos aqui. Certamente faltou muita coisa, mas infelizmente para falar tudo, o post se tornaria ainda mais longo. Esperamos que tenham chegado até o final e que tenham gostado do que escrevemos. Caso tenham alguma dúvida, fiquem a vontade para entrar em contato.

Abraços a TODOS!!!

Anúncios

O Canadá está fazendo aniversário, mas quem ganha o presente somos nós!

Para celebrar o 150º aniversário de nosso país (sim, já consideremos nosso 🙂 ), o governo do Canadá está oferecendo de presente a admissão gratuita em todos os Parques Nacionais, Locais Históricos e Áreas Marinhas de Conservação do Canadá durante todo o ano de 2017!

Encomende agora o seu Discovery Pass!

Comemore o 150º aniversário do Canadá na melhor forma possível: explorando este país lindo de natureza exuberante!

Aventura e diversão para toda a família, ou até mesmo uma curta pausa do cotidiano… Nunca houve uma melhor oportunidade para tornar o seu Canadian Dream (Parks) uma realidade!

PKDISC150_bg.jpg

1º Ano de Canadá!!!

Dia 28/06/2016 completamos oficialmente 1 ano no Canada. A verdade é que chegamos nos primeiros minutos do dia 29 de junho, porém a imigração oficializou nosso landing dia 28 de junho de 2015, o qual se torna nossa data oficial para celebrarmos o tempo em que moramos aqui.

Este dia é sem duvida o marco mais importante até agora, pelo simples motivo que encerramos o projeto de adaptação no país. Nosso planejamento inicial contava com um período de 12 meses os quais muitas decisões seriam tomadas, muitos ajustes seriam necessários e especialmente, muitas mudanças de comportamento da nossa parte para uma melhor adaptação à cultura local.

Comentamos com vocês que quando completamos 6 meses já estávamos nos sentindo em casa, o que falar depois de 1 ano então? Definitivamente estamos adaptados e não passa pela nossa cabeça um retorno ao Brasil, nossa nova casa é aqui.

Recapitulando nosso projeto de 12 meses:

  • 0 – 3 meses: ajuste de orçamento, moradia, conhecer a cidade, adaptação a cultura, entender o mercado de trabalho e estudar Inglês;
  • 3 – 6 meses: estudar Inglês, cursos técnicos, procurar emprego e adaptação ao inverno;
  • 6 – 12 meses: adaptação a cultura no mercado de trabalho, ajuste do orçamento para adaptar ao nosso estilo de vida e começar a investir em lazer.

Definitivamente nosso projeto inicial foi um sucesso, acredito que conseguimos fazer até mais do que o planejado. Tanto a Bruna quando eu, conseguimos fazer cursos em universidades já no primeiro ano, eu obtive 3 certificações (PMP, Scrum Master and Lean Six Sigma), ambos estamos bem empregados (a Bruna com mais de 1 emprego, inclusive), conseguimos um equilíbrio financeiro que nos permite investir em lazer e até iniciar nossa economia para a compra de um imóvel.

Tivemos a felicidade de nestes 12 meses recebermos a visita das nossas mães e também eu (Lucas) tive a oportunidade de passar alguns dias no Brasil, coisas que ajudaram muito a adaptação inicial. Outro fator muito importante foi de que amigos de infância que temos no Brasil continuam muito presentes em nossas vidas, isto foi e é fundamental para não nos sentirmos sozinhos. Também conseguimos fazer um bom ciclo de amizade aqui no Canada, o que ajuda a criar laços ainda mais forte com o país.

Nosso planejamento não incluía utilizamos o OHIP (plano publico de saúde) com tanta frequência, mas aconteceu. Eu operei da apêndice e atualmente estou aguardando o diagnostico da lesão no joelho para saber se terei que passar por uma cirurgia e reconstruir o ligamento cruzado do joelho direito. Como a saúde e gratuita aqui no Canada, são coisas que não afetaram nosso planejamento financeiro, mas logicamente tiveram um reflexo na nossa rotina.

Vamos falar um pouco do Canada então, neste um ano realmente confirmamos muitas coisas que havíamos pesquisados antes de vir.

– Segurança: é algo que não nos preocupa mais. Sinceramente, não lembramos a última vez que nos preocupamos em ser assaltados ou algo do tipo, depois de um tempo tu acabas eliminando estes pensamentos da cabeça, porque tu não escutas nada disto por aqui. Não quer dizer que tu não vá ser assaltado, mas quer dizer que a probabilidade é tão baixa, que não vale a pena a preocupação. Hoje em dia tiramos o celular do bolso em qualquer hora, inclusive de madrugada. Aliás, muitas vezes voltamos para casa depois da meia noite e com sentimento de segurança absurdo, o mesmo que temos durante o dia.

– Educação das Pessoas: foi algo que nos impressionou no inicio da nossa vida aqui, as pessoas são muito educadas. “Bom dia”, “com licença”, “por favor”, “obrigado” e por ai vai… são palavras quase que obrigatórias e não é somente por cultura, é verdadeiro. Logicamente já cruzamos com pessoas mal educadas, a grande maioria não era canadense, mas em linhas gerais, a educação aqui é bem alta. Um fator negativo que tenho a destacar é no mercado de trabalho, como o Canadense é muito educado, ele evita conflito e por vezes acaba agindo “nas costas” da pessoa, talvez por inocência, talvez por sacanagem… realmente não sei, mas vejo acontecendo isto seguidamente no mercado de trabalho. É algo para abrir o olho!!

– Inverno: Bom, aqui eh onde eu e a Bruna temos opiniões diferentes:
LUCAS: Minha opinião é que não é muito bom não, o inverno é muito longo e te limita bastante, é muito difícil continuar com o ritmo que tu tens no verão ou até mesmo com o que temos no inverno Gaúcho. Praticar esportes na rua, somente se for snowboarding ou skiing, o resto terá que ser indoor. Logicamente que quando tu aproveitas a neve e tem condições de ir para as montanhas, o inverno se torna sensacional, mas não são todos os meses que tu consegues isto. O frio não é um problema, tu estás sempre bem agasalhado e dentro de casa esta sempre quente, mesmo quando temos temperaturas negativas.
BRUNA: Entendo e acredito que muitas pessoas não gostam da ideia de viver em um lugar onde faz temperaturas negativas em quase 50% dos dias do ano. Eu, particularmente, nunca gostai de inverno, do frio e de ter que andar com vááárias camadas de roupas. O engraçado é que o Canadá me fez mudar de ideia na primeira neve que presenciei. Eu amo o inverno daqui, amo aquele frio (quase insuportável) pelo simples fato de toda a beleza que o inverno daqui traz. Amo acordar pela manhã e olhar pela janela aquela paisagem branquinha. Amo colocar minhas botas de neve naqueles dias de muitaaaa neve caminhar pelas ruas de Toronto só para ter aquele prazer de pisar na neve branquinha e fofinha. Amo os esportes de inverno (snowboarding, skiing, ice skating, “skibunda”…), apensar de não ter experimentado ainda todos estes esportes, todas estas possibilidades me deixam muito animada para o inverno. Sem falar o quão preparado o Canada é para o inverno, tu só sente o frio mesmo a céu aberto na rua, porque todos os lugares aqui tem calefação ou são bem protegidos para o frio (casas, prédios, ônibus, metro…) Resumindo, AMO o Canada e tudo que o Canada nos proporciona. Amo a vida que levamos aqui.

– Francês: ninguém fala Francês em Ontário, podem até saber falar, mas aqui, é raro escutar.

– Inglês: Comunicação não é mais um problema para nós, já conseguimos entender tudo e falar o que queremos. Logicamente temos muito a melhorar, mas não é mais um preocupação para nós.

– Viagens: conseguimos viajar relativamente bastante para os primeiros 12 meses. Visitamos Niagara Falls, Blue Montain, Windsor, Montreal (Quebec) e Quebec City (Quebec). Foram viagens curtinhas, mas já conseguimos conhecer um pouco da região. Nos próximos 12 meses a lista vai aumentar bastante.

Mais uma vez, aproveitamos para agradecer a todos que continuaram tendo contato seguido conosco, mesmo sabendo que fisicamente estaríamos distante e, pedimos para os que se afastaram, voltem a ter o contato conosco. Nós não morremos, só nos mudamos para um local geograficamente diferente.

OHIP – Hospital – Emergência – Apendicite

Galera, tudo certo?

Estamos nós aqui novamente para relatar nossa experiência utilizando a emergência de um hospital aqui no Canadá e também dar nossa opinião sobre o OHIP.

Na segunda-feira (22/02), por volta das 17h, comecei a sentir uma forte dor no abdomen, a dor era generalizada, não tinha local específico. Após algumas horas (por volta das 21h), a dor estabilizou no lado direito do abdomen, próximo a cintura, foi neste momento que comecei a pesquisar sobre apendicite e falar com alguns amigos. Fiz alguns testes que achei na internet e os sintomas ficaram ainda mais próximos deste diagnóstico, foi nesta hora que liguei para o TeleHealth (assistência médica onde falamos com enfermeiros). No TeleHealth a enfermeira que me atendeu fez uma série de perguntas e ao final de 15 minutos ela recomendou que eu fosse para uma emergência de um hospital em no máximo 4 horas. Foi isto que fizemos, aproximadamente as 22h50 saímos de casa e fomos para o hospital Sunnybrook.

Chegamos no hospital por volta das 23h15, onde fomos para a emergência e ficamos em uma fila para fazer a triagem com os enfermeiros, foi possível notar que haviam aproximadamente 15 pessoas na nossa frente. Pouco mais de 20/30 minutos após nossa chegada, fomos encaminhados para a triagem, onde a enfermeira praticamente repetiu as perguntas que eu havia respondido para o TeleHealth, após isto fui encaminhado para fazer meu registro no hospital. Fiz o registro e fui encaminhado novamente para a recepção da emergência, com o alerta que eu iria esperar por volta de 4h/5h para ver um médico. Voltamos então para a recepção e por volta da 1h30 da madrugada (2h15 após a chegada), uma enfermeira me chamou para fazer exame de urina e de sangue. Novamente após isto, voltamos para a recepção.

Por volta das 4h15 da manhã (5h após a chegada), nos chamaram para “entrar” no hospital, foi quando tivemos a esperança de falarmos com um médico. A esperança durou pouco, fomos encaminhamos para uma sala de espera em um setor de atendimento, onde foi possível ver alguns residentes e enfermeiros atendendo outros pacientes que foram chamados antes que nós.

Entre as 4h15 e 6h15 da manhã (7h após a chegada), somente falamos com os enfermeiros, e foi para aferir a pressão e verificar os batimentos cardiacos, nada além disto. Por volta das 6h30, me chamaram para outra sala e ai sim fui atendido por um médico residente que fez a avaliação clínica, porém não obtive nenhum retorno da avaliação, somente a informação que a médica de plantão iria me ver em alguns minutos. Por volta das 7h a médica de plantão veio falar comigo e novamente fez o exame clínico, desta vez ela comentou o que achava que estava acontecendo e fez um ultrassom para tentar verificar se meu apêndice estava realmente inflamado, o que infelizmente não foi possível, eles não conseguiram identificar o apêndice. Foi ai que ela solicitou que eu fizesse um CT Scan, exame computadorizado que iria detectar 100% o que estava acontecendo comigo.

Por volta de 7h30 fui chamado para o exame e 15 minutos depois já estava novamente na sala de espera. Esperamos por mais 30 minutos o resultado e então a médica veio conversar comigo e explicar que iriam esperar o cirurgião chegar no hospital para tomar a decisão de me encaminhar para a cirurgia ou não, mas que estava claro que minha apêndice estava inflamada.

Entre as 7h30 e 8h30, outros médicos residentes vieram falar comigo, porém desta vez um deles trabalhava com o curirgião, o que agilizou a decisão de encaminhamento para a cirurgia. As 8h30 (9h depois de chegarmos), foi me comunicado que eu iria para a cirurgia e que o cirurgião estava a caminho, mas que a cirurgia ia ser por volta do meio-dia. Eu pedi que eles me colocassem em uma maca e, que de preferência pudesse deitar e eu minha esposa, pois ambos estavamos em poltronas desde que chegamos e, sem durmir. Eles providenciaram uma maca pra nós e, para nossa surpresa (positiva), já as 9h30 fui encaminhado para a sala de cirurgia.

A cirurgia foi muito rápida e as 10h30 eu estava na sala de recuperação, depois disto fui encaminhado para um local onde havia aproximadamente 10 outras pessoas, mas era tudo dividido por cortinas, muito bem separado. Ficamos lá até por volta das 11h da noite, onde fui liberado para vir para casa.

Bom, vamos aos comentários:

1 – O tempo de espera para ver o médico foi absurdo, ficou em 8h/9h. Em nenhum momento vieram perguntar se estava bem, se poderiam fazer algo para a dor (embora eu pudesse ter pedido algo), dar alguma nova previsão de atendimento… enfim, realmente a emergência daqui (neste experiência) fica muito abaixo do esperado e aceitável para um país como o Canadá.

2 – Após o atendimento do médico, tudo funciona as mil maravilhas, parece que mudei de planeta. Tudo é rápido, tecnológico, fácil, educado, etc. A partir da identificação da cirurgia, só temos elogio.

3 – Acompanhante: não espere nada além de uma poltrona razoávelmente confortável para seu acompanhante. Após a cirurgia, a alimentação é somente para o paciente, porém foi oferecido ao acompanhante, pois nem todos os pacientes quiseram.

4 – OHIP: Não tivemos qualquer custo, com excessão dos medicamentos, é claro. Sem dúvida isto é algo que tem que se comemorado. A simplicidade impera, não podemos esperar quarto privativo/semi-privativo, nem refeição top (ao menos no hospital que fomos). O ruim fica realmente por conta da espera na emergência, isto ao que tudo indica é o calcanhar de Aquiles do sistema de saúde Canadense.

Era isto, se tiveram mais alguma dúvida, entrem em contato conosco.

6 Meses no Canadá!!!

Hoje completamos 6 meses em Toronto. Chegamos a uma marca muito importante, não somente pelo primeiro meio ano aqui, mas também porque vamos iniciar 2016 com uma bagagem muito boa trazida de 2015. Definitivamente estamos em casa, o Canadá já se tornou nosso lar.

Nosso projeto para o período entre o 3º e 6º mês contava com um investimento de tempo considerável nos estudos (Inglês e cursos técnicos), procura de emprego e adaptação ao inverno. Este segundo ciclo não saiu 100% como o planejado, mas ainda assim foi muito bom, pois aconteceram algumas coisas maravilhosas que não estavam nos nossos planos.

Primeiro, conseguimos finalizar os cursos de Inglês, o curso que eu (Lucas) estava fazendo, de Gestão de Projetos, e da Bruna, em marketing e vendas. A surpresa neste sentido veio com o meu PMP (Project Management Professional), algo que eu não fazia a mínima ideia que eu iria buscar, tampouco passar no exame de primeira após somente 2 meses de estudo.

Vamos agora ao tão temido inverno!! Bom, até agora, nada diferente do que passamos no Rio Grande do Sul. Novembro e Dezembro foram muito tranquilos, bem diferente do que costuma ser aqui em Toronto. Temperaturas negativas foram raras e neves mais raras ainda, vamos esperar Janeiro/Fevereiro para ver se conseguiremos enfrentar o frio de verdade. Projeto adiado para o próximo trimestre! Rsss.

Chegamos então ao principal projeto desde que chegamos: buscar emprego. Conseguimos ter certo sucesso nestes últimos 3 meses, mas ainda estamos em uma situação que queremos buscar um emprego em nossas áreas. O que conquistamos até agora foi bom pois nos ajudou a ter a famosa “Canadian Experience” e criar uma rede de relacionamentos, mas ainda temos o desafio de buscar algo mais próximo ao que tínhamos no Brasil. Certamente entre Janeiro/16 e Março/16 teremos que completar esta etapa, agora é a hora!!

A saudade da família e dos amigos é grande, mas estamos suportando bem. Nos preparamos bastante para enfrentar este primeiro ano, especialmente porque já tínhamos uma experiência prévia de como seria ficar longe. Sei que nossos familiares e amigos próximos também sentem saudade, mas esperamos visita-los ainda em 2016! Fiquem firmes e fortes ai, vocês são a base para nós.

Vou repetir uma frase que postei 3 meses atrás. “Aproveitamos para agradecer a todos que continuaram tendo contato seguido conosco, mesmo sabendo que fisicamente estaríamos distante e, pedimos para os que se afastaram, voltem a ter o contato conosco. Nós não morremos, só nos mudamos para um local geograficamente diferente.”

3 Primeiros Meses :)

Hoje completamos 3 meses em Toronto e, podemos dizer que, agora nós nos sentimos oficialmente Canadenses. Já estamos com o PR Card na mão (já dá para viajar pro Brasil), direito a acesso gratuito a saúde (tinha carência de 3 meses), carteira de motoritca de Ontario, entre outras coisas.

Os primeiros três meses havíamos planejado como meses de adaptação, meses que iríamos ajustar o orçamento, arrumar ap, conhecer a cidade, a cultura, estudar os idiomas (Inglês/Francês), entender o mercado de trabalho, etc.

O ciclo número 1 acabou, agora partirmos para um novo ciclo de 3 meses, com novos objetivos, dentre eles emprego e adaptação ao inverno.

Preliminarmente, podemos afirmar que estamos caminhando para uma plena adaptação, faltando somente encarar o inverno. Em relação a cidade, a cultura Canadense, as demais culturas e o modo como as coisas funcionam, tudo se encaixa no que buscávamos. Logicamente, ainda é muito cedo para conhecer tudo a fundo, mas por enquanto, esta é a visão.

Não podemos deixar de registrar que a saudade é grande, especialmente da família e dos amigos, mas também da vida que tínhamos no Brasil, mas isto tudo faz parte da adaptação inicial.

Aproveitamos para agradecer a todos que continuaram tendo contato seguido conosco, mesmo sabendo que fisicamente estariamos distante e, pedimos para os que se afastaram, voltem a ter o contato conosco. Nós não morremos, só nos mudamos para um local geograficamente diferente. 😉

20 Curiosidades sobre Toronto!!

Galera, traduzimos uma matéria muito legal sobre as “20 coisas que você deve saber antes de se mudar para Toronto” do site Notable.ca e, acrescentamos algumas coisas nas descrições dos itens. Vale a pena conferir para conhecer mais sobre Toronto.

Antes de começarmos a lista, é importante destacar que este ano Toronto foi eleita como a melhor cidade para viver em um dos importantes rankings mundiais e a quarta melhor em outro. Agora vamos a lista:

  1. Se você é racista, isto provavelmente não irá funcionar aqui.

Com pouco mais da metade da população da cidade vinda de fora do Canadá, Toronto é uma das cidades mais multiculturais do mundo.

ARush-TorontoRoth-003-2

  1. Você não precisa falar Francês.

Francês é a segunda língua oficial do Canadá, porém é raramente utilizada em Toronto. Muito embora, a grande parte da comunicação impressa (embalagens de produtos, panfletos, informativos do governo, etc) contenha ambos os idiomas.

  1. Muitas pessoas vivem no “centro” da cidade (Downtown).

Não é igual a maioria das cidades onde o “centro” acorda as 9 da manhã porque 80% da população vive longe dali. Uma grande parte da população realmente vive lá, o que faz com que raramente o centro fique pouco movimentado. Veja a foto do post, que mostra o centro a noite.

  1. Comprar uma casa aqui irá custa a você milhões de dólares

O preço médio de uma casa na cidade de Toronto gira em torno de $1.05 milhões de dólares canadenses. Mesmo uma das casas mais apertadas (confira a matéria aqui) da cidade, custa $750.000,00.

  1. É realmente (realmente mesmo) seguro aqui, mas não seja um idiota por causa disto

A quarta maior cidade da América do Norte é também uma das mais seguras do mundo, então você não precisa ficar preocupado em caminhar pelo centro da cidade a noite. Mas é claro, existem certas áreas que você não gostaria de visitar, então fique atento. Furtos de bicicletas não são raros por aqui, então, fique atento com isto também.

  1. Existem mais Startbucks do que pessoas (ok, é um exagero)

Somente este mês, Toronto abriu a quarta milionésima Starbucks próxima a um armário de vassouras em uma sala de conferência em um hospital. Está bem, agora falando sério, eles estão em todos os lugares. Escolher seu café preferido não é um problema.

  1. Última chamada em bares é as 2 da manhã. Pints custam geralmente $6,25, um copo de vinho $11 e, um coquetel $13.

E mesmo assim, você ainda não pode comprar nenhum tipo de bebida alcoólica em supermercados e lojas de conveniências, somente em algumas selecionadas cadeias de distribuição exclusivas para este fim (LCBO, Wine Rack, etc).

  1. As opções de restaurantes e comidas são incríveis.

Comidas dos mais diferentes locais que vocês podem imaginar e feitas por pessoas realmente vindas daquele local. Existem em torno de 6.000 restaurantes na cidades. É uma legítima fantasia culinária.

  1. Se você sabe onde ir, não é tão caro assim.

A maioria dos locais não são baratos, mas se você tiver algum tempo para pesquisar um pouco, o preço não será tão alto para uma cidade grande como Toronto.

  1. Gorjetas vão de 15% a 20%

Sim, aqui é um hábito comum (quase obrigatório) dar gorjetas que vão de 15% a 18% e, chegam a 20%, o que significa um ótimo atendimento.

  1. É uma cidade amigável para os bichinhos de estimação

Você talvez seja multado se seu animalzinho estiver sem coleira em alguns parques e apartamentos com regulamentos proibindo animais. Mas em geral, a maioria das pessoas, lugares e áreas são amantes de animais e a comunidade de cachorros é grande.

  1. Quando mais for o acesso a coisas legais, estar no Oeste é melhor que estar no Leste.

Provavelmente não será assim por muito tempo, mas por enquanto, Oeste é melhor.

  1. Os ciclistas vão te deixar irritado.

Apesar de todo seu comportamento e o que seus monólogos sugerem, não deixem eles te enganarem. Eles não pertencem a nenhum sindicato que seja proprietário de todas as ruas da cidade e, os carros podem facilmente matá-los.

bikes

  1. Se você dirige um carro, esteja preparado para vender seus órgãos para pagar tickets de estacionamento (mesmo na rua).

Os fiscais de estacionamento são piores que mosquitos.

  1. Apesar do que as pessoas forem lhe falar, o transporte público é muito bom.

Sério, é muito bom. O transito não é dos melhor, isto é verdade. Mas enquanto o sistema de transporte público não está ganhando nenhum prêmio, ele cobre 1.200 km das ruas, faixas e túneis e é muito efetivo para a cidade. Ok, se você vive 20 minutos (20km+) fora do centro da cidade, isto poderá ser um problema (assim como a maioria das cidades) e, sim, isto fica lotado por causa das milhões de pessoas que trabalhando no centro (assim como a maioria das cidades). Mas em média, isto custo em torno de $141,50 por mês para usar todos os transportes públicos (ônibus, trem elétrico e metro) quantas vezes quiser.

ttc

  1. Existem MUITAS pessoas bonitas aqui.

Isto é muito legal. 🙂

  1. Existem MUITAS pessoas desagradáveis aqui.

Isto não é muito legal. 😦

  1. Sim, nós temos um inverno gelado; Sim, isto dura um bom tempo; Sim, isto pode ser irritante; Sim, nós vendemos jaquetas quentes e botas a prova de água. Nós temos muita eletricidade, então isto não é um grande problema, a menos que você esteja somente reclamando sobre estas coisas.

Honestamente, com o correto jeito de ver as coisas, isto é até divertido, pois permite você mergulhar em um espectro completo de esportes e atividades. E o verão na cidade? Nossa, é muita coisa acontecendo, isto faz sua cabeça girar…

  1. Nós temos uma bela situação em relação a praias

Temos longos caminhos para ciclismo, roller, etc; Muitas quadras de voleibol e acesso a todos os mais estranhos tipos de caminhões de sorvete que você possa querer.  Também, pegue a balsa até a ilha Ward, e você irá encontrar uma bela pequena praia lá também. Nós também temos uma praia de nudismo.

  1. Muitas pessoas de outras cidades Canadenses nos odeiam

Isto é tão estranho quanto parece, mas se acostume com isto. Honestamente, nós não sabemos o motivo disto, mas pensamos que tem alguma relação com a conveniência de estamos próximos do centro do universo. 😛

FONTE: http://notable.ca/20-things-you-should-know-before-moving-to-toronto/