1º Ano de Canadá!!!

Dia 28/06/2016 completamos oficialmente 1 ano no Canada. A verdade é que chegamos nos primeiros minutos do dia 29 de junho, porém a imigração oficializou nosso landing dia 28 de junho de 2015, o qual se torna nossa data oficial para celebrarmos o tempo em que moramos aqui.

Este dia é sem duvida o marco mais importante até agora, pelo simples motivo que encerramos o projeto de adaptação no país. Nosso planejamento inicial contava com um período de 12 meses os quais muitas decisões seriam tomadas, muitos ajustes seriam necessários e especialmente, muitas mudanças de comportamento da nossa parte para uma melhor adaptação à cultura local.

Comentamos com vocês que quando completamos 6 meses já estávamos nos sentindo em casa, o que falar depois de 1 ano então? Definitivamente estamos adaptados e não passa pela nossa cabeça um retorno ao Brasil, nossa nova casa é aqui.

Recapitulando nosso projeto de 12 meses:

  • 0 – 3 meses: ajuste de orçamento, moradia, conhecer a cidade, adaptação a cultura, entender o mercado de trabalho e estudar Inglês;
  • 3 – 6 meses: estudar Inglês, cursos técnicos, procurar emprego e adaptação ao inverno;
  • 6 – 12 meses: adaptação a cultura no mercado de trabalho, ajuste do orçamento para adaptar ao nosso estilo de vida e começar a investir em lazer.

Definitivamente nosso projeto inicial foi um sucesso, acredito que conseguimos fazer até mais do que o planejado. Tanto a Bruna quando eu, conseguimos fazer cursos em universidades já no primeiro ano, eu obtive 3 certificações (PMP, Scrum Master and Lean Six Sigma), ambos estamos bem empregados (a Bruna com mais de 1 emprego, inclusive), conseguimos um equilíbrio financeiro que nos permite investir em lazer e até iniciar nossa economia para a compra de um imóvel.

Tivemos a felicidade de nestes 12 meses recebermos a visita das nossas mães e também eu (Lucas) tive a oportunidade de passar alguns dias no Brasil, coisas que ajudaram muito a adaptação inicial. Outro fator muito importante foi de que amigos de infância que temos no Brasil continuam muito presentes em nossas vidas, isto foi e é fundamental para não nos sentirmos sozinhos. Também conseguimos fazer um bom ciclo de amizade aqui no Canada, o que ajuda a criar laços ainda mais forte com o país.

Nosso planejamento não incluía utilizamos o OHIP (plano publico de saúde) com tanta frequência, mas aconteceu. Eu operei da apêndice e atualmente estou aguardando o diagnostico da lesão no joelho para saber se terei que passar por uma cirurgia e reconstruir o ligamento cruzado do joelho direito. Como a saúde e gratuita aqui no Canada, são coisas que não afetaram nosso planejamento financeiro, mas logicamente tiveram um reflexo na nossa rotina.

Vamos falar um pouco do Canada então, neste um ano realmente confirmamos muitas coisas que havíamos pesquisados antes de vir.

– Segurança: é algo que não nos preocupa mais. Sinceramente, não lembramos a última vez que nos preocupamos em ser assaltados ou algo do tipo, depois de um tempo tu acabas eliminando estes pensamentos da cabeça, porque tu não escutas nada disto por aqui. Não quer dizer que tu não vá ser assaltado, mas quer dizer que a probabilidade é tão baixa, que não vale a pena a preocupação. Hoje em dia tiramos o celular do bolso em qualquer hora, inclusive de madrugada. Aliás, muitas vezes voltamos para casa depois da meia noite e com sentimento de segurança absurdo, o mesmo que temos durante o dia.

– Educação das Pessoas: foi algo que nos impressionou no inicio da nossa vida aqui, as pessoas são muito educadas. “Bom dia”, “com licença”, “por favor”, “obrigado” e por ai vai… são palavras quase que obrigatórias e não é somente por cultura, é verdadeiro. Logicamente já cruzamos com pessoas mal educadas, a grande maioria não era canadense, mas em linhas gerais, a educação aqui é bem alta. Um fator negativo que tenho a destacar é no mercado de trabalho, como o Canadense é muito educado, ele evita conflito e por vezes acaba agindo “nas costas” da pessoa, talvez por inocência, talvez por sacanagem… realmente não sei, mas vejo acontecendo isto seguidamente no mercado de trabalho. É algo para abrir o olho!!

– Inverno: Bom, aqui eh onde eu e a Bruna temos opiniões diferentes:
LUCAS: Minha opinião é que não é muito bom não, o inverno é muito longo e te limita bastante, é muito difícil continuar com o ritmo que tu tens no verão ou até mesmo com o que temos no inverno Gaúcho. Praticar esportes na rua, somente se for snowboarding ou skiing, o resto terá que ser indoor. Logicamente que quando tu aproveitas a neve e tem condições de ir para as montanhas, o inverno se torna sensacional, mas não são todos os meses que tu consegues isto. O frio não é um problema, tu estás sempre bem agasalhado e dentro de casa esta sempre quente, mesmo quando temos temperaturas negativas.
BRUNA: Entendo e acredito que muitas pessoas não gostam da ideia de viver em um lugar onde faz temperaturas negativas em quase 50% dos dias do ano. Eu, particularmente, nunca gostai de inverno, do frio e de ter que andar com vááárias camadas de roupas. O engraçado é que o Canadá me fez mudar de ideia na primeira neve que presenciei. Eu amo o inverno daqui, amo aquele frio (quase insuportável) pelo simples fato de toda a beleza que o inverno daqui traz. Amo acordar pela manhã e olhar pela janela aquela paisagem branquinha. Amo colocar minhas botas de neve naqueles dias de muitaaaa neve caminhar pelas ruas de Toronto só para ter aquele prazer de pisar na neve branquinha e fofinha. Amo os esportes de inverno (snowboarding, skiing, ice skating, “skibunda”…), apensar de não ter experimentado ainda todos estes esportes, todas estas possibilidades me deixam muito animada para o inverno. Sem falar o quão preparado o Canada é para o inverno, tu só sente o frio mesmo a céu aberto na rua, porque todos os lugares aqui tem calefação ou são bem protegidos para o frio (casas, prédios, ônibus, metro…) Resumindo, AMO o Canada e tudo que o Canada nos proporciona. Amo a vida que levamos aqui.

– Francês: ninguém fala Francês em Ontário, podem até saber falar, mas aqui, é raro escutar.

– Inglês: Comunicação não é mais um problema para nós, já conseguimos entender tudo e falar o que queremos. Logicamente temos muito a melhorar, mas não é mais um preocupação para nós.

– Viagens: conseguimos viajar relativamente bastante para os primeiros 12 meses. Visitamos Niagara Falls, Blue Montain, Windsor, Montreal (Quebec) e Quebec City (Quebec). Foram viagens curtinhas, mas já conseguimos conhecer um pouco da região. Nos próximos 12 meses a lista vai aumentar bastante.

Mais uma vez, aproveitamos para agradecer a todos que continuaram tendo contato seguido conosco, mesmo sabendo que fisicamente estaríamos distante e, pedimos para os que se afastaram, voltem a ter o contato conosco. Nós não morremos, só nos mudamos para um local geograficamente diferente.

Anúncios